Acessar o conteúdo principal
Venezuela/Presidência

Nicolás Maduro toma posse como presidente da Venezuela

Nicolás Maduro (d) sendo parabenizado pela presidente brasileira Dilma Rousseff e o boliviano Evo Morales durante a cerimônia de posse.
Nicolás Maduro (d) sendo parabenizado pela presidente brasileira Dilma Rousseff e o boliviano Evo Morales durante a cerimônia de posse. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
Texto por: RFI
2 min

Nicolás Maduro assumiu a presidência da Venezuela nessa sexta-feira. Contestado pela oposição, o novo chefe de Estado, herdeiro político de Hugo Chávez, convidou seus rivais para o diálogo após a cerimônia de posse, que contou com a presença de vários líderes internacionais, inclusive a brasileira Dilma Rousseff e o iraniano Mahmoud Ahmadinejad. A pedido do candidato derrotado Henrique Capriles, o Conselho Nacional Eleitoral do país vai realizar uma auditoria sobre os resultados do pleito.

Publicidade

Milhares de partidários e diversos líderes internacionais participaram da cerimônia de posse de Nicolás Maduro nessa sexta-feira em Caracas. Além dos tradicionais aliados regionais, como o presidente cubano Raúl Castro, o boliviano Evo Morales, a argentina Cristina Kirchner, e a brasileira Dilma Rousseff, o iraniano Mahmoud Ahmadinejad também foi até a capital venezuelana para assistir o evento.

Durante o cerimônia, o novo chefe de Estado aproveitou para homenagear mais uma vez Hugo Chávez, ex-presidente que dirigiu o país durante 14 anos antes de morrer vítima de um câncer no mês passado. “Eu juro, pela herança eterna de nossos pais fundadores, e pela memória eterna de nosso comandante supremo, respeitar a Constituição”, disse Maduro diante de uma gigantesca fotografia de Chávez.

A cerimônia chegou a ser perturbada por um homem que subiu no palco e empurrou no novo presidente para falar ao microfone. “Nicolas, eu me chamo Yendrick, por favor me ajude”, gritou o intruso antes de ser retirado às pressas pelas forças de ordem. “A segurança falhou totalmente, eu poderia ter levado um tiro”, reagiu o chefe de Estado antes de retomar seu discurso.

Ex-motorista de ônibus, Nicolás Maduro, de 50 anos, que entrou na política como sindicalista, venceu as eleições com apenas 50,8% dos votos, contra 49% para seu rival Henrique Capriles. O candidato derrotado continua contestando os resultados e várias manifestações violentas de protesto envolvendo seus partidários foram registradas nos últimos dias. Um panelaço de opositores também marcou a cerimônia de posse nessa sexta-feira.

Diante da onda de contestação, o novo presidente convidou a oposição para o diálogo. “Eu estou disposto a discutir, inclusive com o diabo”, disse Maduro após a cerimônia. A pedido do partido derrotado, o Conselho Nacional Eleitoral também prometeu realizar uma auditoria sobre os resultados do pleito.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.