Estados Unidos/Sequestro

Suspeitos do sequestro de três jovens em Cleveland podem ser indiciados hoje

Amanda Berry (no centro), ao lado de sua irmã (à esq.) no dia 6 de maio no hospital de Cleveland, estado de Ohio. Ela foi mantida em cativeiro com outras duas jovens por mais de 10 anos. 0 anos.
Amanda Berry (no centro), ao lado de sua irmã (à esq.) no dia 6 de maio no hospital de Cleveland, estado de Ohio. Ela foi mantida em cativeiro com outras duas jovens por mais de 10 anos. 0 anos. AFP/WOIO

Os três suspeitos de terem sequestrado e mantido em cárcere privado três jovens desaparecidas há mais de 10 anos em Cleveland, no estado de Ohio, norte dos Estados Unidos, devem ser interrogados e podem ser formalmente indiciados ainda esta noite, segundo a polícia local.

Publicidade

de Raquel Krahenbühl, correspondente da RFI, em Washington,

Amanda Berry, 27, Geornina DeJesus, 23, e Michelle Knight, 32 estão agora se recuperando ao lado de suas famílias, que comemoram aliviadas o fim de um pesadelo que durou mais de uma década. Elas devem passar por tratamentos psicológicos para superar o trauma e se reconectarem com o mundo.

As três já receberam cuidados médicos, fizeram uma série de exames, inclusive para ver se foram abusadas sexualmente. Autoridades acreditam que nesses anos, Amanda teve uma filha no cativeiro, que também foi resgatada.

Elas desapareceram quando ainda eram adolescentes. A primeira, Michelle, desapareceu em 2002 quando tinha 20 anos. Um ano depois, faltando um dia pra fazer 17 anos, Amanda sumiu. Em 2004, Gina, com apenas 14 anos, desapareceu.  As três conseguiram escapar depois que um vizinho ouviu Amanda gritando a pedido de socorro. Ele foi até a casa e arrombou a porta. Ela saiu apavorada, com uma menina de 6 anos, e ligou para a polícia com o telefone de uma outra vizinha.

Por todos esses anos elas foram mantidas numa casa perto do local onde desapareceram. O dono da propriedade é Ariel Castro, um ex-motorista de ônibus escolar de 52 anos. Ele e dois irmãos estão presos e devem ser interrogados nessa quarta-feira, podendo ser indiciados ainda hoje à noite ou nos próximos dias.
Castro já teve passagem pela polícia por violência doméstica e perturbação da ordem pública. A polícia já esteve pelo menos duas vezes na casa onde elas eram mantidas para investigar outros casos, mas nunca encontrou nada suspeito.

Muitas perguntas permanecem sem respostas, como explicou o prefeito de Cleveland. Frank Jackson disse que os investigadores querem saber porque e como elas foram sequestradas e como foram mantidas por tanto tempo sem que ninguém percebesse.

Um especialista em vítimas infantis do FBI já entrevistou as três mulheres e a criança de 6 anos. A polícia também está ouvindo vizinhos, parentes e amigos em busca de mais pistas. Em relatos à imprensa local, pelo menos dois moradores mostram que havia algo estranho naquele lugar.

Um deles contou ter chamado a polícia em 2011 depois de ouvir gritos na casa e outra disse que certa vez viu uma mulher nua no quintal da casa. Os investigadores coletaram sacolas cheias de evidências da casa, incluindo correntes que devem ter sido usadas pra prender as vítimas.

Enquanto as investigações prosseguem, a coragem dessas três mulheres é aclamada por todo o país. A história é vista como um exemplo para muitos outros casos, como lembrou o deputado Ed Royce durante uma audiência sobre tráfico humano na Comissão de Relações Exteriores da Câmara: “Enquanto celebramos esse resgate, lembramos da triste realidade de milhões de meninas por todo o mundo e em nossas comunidades que tem suas juventudes roubadas”, afirmou.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.