Colômbia/Farc

O governo da Colômbia e Farc chegam a um acordo sobre a reforma agrária

Negociadores do governo e das Farc concluem acordo sobre reforma agrária no domingo 26 de maio de 2013 em Cuba.
Negociadores do governo e das Farc concluem acordo sobre reforma agrária no domingo 26 de maio de 2013 em Cuba. REUTERS/Enrique De La Osa

Representantes do governo da Colômbia e das Farc chegaram a um acordo sobre a reforma agrária, uma das principais reivindicações do grupo de guerrilheiros que se rebela contra autoridade central do país há várias décadas.

Publicidade

As Farc e o governo colombiano anunciaram neste domingo um acordo sobre a reforma agrária na Colômbia, o que é visto como um avanço importante nas negociações de paz entre os dois grupos. Conforme o acordo, será estabelecido um projeto de desenvolvimento econômico e social de área rurais bem como a distribuição de lotes de terra. Desde 1964, quando a guerrilha foi criada, essa era a principal reivindicação do grupo de guerrilheiros.

Humberto Calle, chefe dos negociadores do governo, enfatiza, que o acordo marca uma “mudança histórica”. Mas sublinhou que as medidas só serão adotadas quando o acordo global de paz for concluído. “Não há acordo sobre nada se tudo não for resolvido”, resumiu. “Aquilo que alcançamos nesse acordo é o começo de transformações radicais na realidade rural e agrária da Colômbia”, diz trecho do comunicado oficial.

O documento foi obtido depois de nove sessões de discussão iniciadas em 19 de novembro do ano passado em Havana (Cuba). Os negociadores das Farc declararam que alguns pontos terão que ser “revistos antes da conclusão de um acordo final”, mas ponderaram que houve “progressos”. Para o governo, o programa de reforma agrária é “ambicioso” e permite conciliar os interesses dos grandes latifundiários e dos pequenos agricultores. “Os grandes proprietários de terra não têm nada a temer”, diz Calle.

O conflito entre as Farc e o governo colombiano é o mais antigo da América Latina. Mais de 100 mil pessoas morreram ao longo dessas cinco décadas, milhões de pessoas tiveram que abandonar seus lares e os sequestros e execuções sumárias atormentaram o cotidiano dos colombianos.

As Farc, que iniciaram o movimento como uma guerrilha de inspiração marxista, também são acusadas de associação ao narcotráfico. Por esse motivo e também pela longa lista de crimes cometidos, muitos colombianos afirmam que gostariam de ver os rebeldes julgados pela Justiça.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.