Acessar o conteúdo principal
Chile/Eleição

Bachelet se candidata à presidência do Chile

A ex-presidente do Chile Michelle Bachelet participa da votação nas primárias da coalizão de centro-esquerda neste domingo, 30 de junho de 2013, em Santiago do Chile.
A ex-presidente do Chile Michelle Bachelet participa da votação nas primárias da coalizão de centro-esquerda neste domingo, 30 de junho de 2013, em Santiago do Chile. REUTERS/Eliseo Fernandez
Texto por: RFI
2 min

A ex-presidente chilena Michelle Bachelet foi escolhida neste domingo, 30 de junho de 2013, para ser a candidata da coalizão de centro-esquerda na eleição presidencial de novembro. Ela é a favorita para assumir o comando do país.

Publicidade

Michelle Bachelet venceu a eleição primária com mais de 73% dos votos. Seus principais adversários reconheceram imediatamente a derrota.

A coalizão de direita Alianza, do presidente conservador Sebastian Piñera, que não pode disputar um segundo mandato consecutivo, também organizou ontem suas primárias, mas o resultado foi bem mais apertado.

O ex-ministro da Economia Pablo Longueira, que foi próximo do ex-ditador Augusto Pinochet, venceu com 51,25% dos votos o ex-ministro da Defesa Andres Allamand.

No entanto, a direita não parece ter condições de impedir que Michelle Bachelet volte ao cargo de presidente, que ela já ocupou de 2006 a 2010.

"Continuaremos a lutar até o dia 17 de novembro [data do primeiro turno] para retornar à Moneda em 2014", disse ela a seus partidários.

A ex-presidente beneficia de 75% de opiniões favoráveis nas pesquisas de intenção de voto contra somente 21% por Longueira, segundo a última sondagem realizada entre novembro e dezembro de 2012.

A mobilização nesses duas primárias paralelas também foi desigual: enquanto Bachelet obteve mais de 1,5 milhão de votos no domingo, Lablo Longueira reuniu somente 413 mil votos e Andres Allamand 391 mil, segundo dados ainda provisórios.

Michelle Bachelet, que trabalhou na ONU sobre questões de igualdade entre homens e mulheres, prometeu principalmente de enfrentar as profundas desigualdades econômicas do país aumentando os impostos sobre as empresas para financiar a gratuidade dos estudos universitários.

Maior exportador mundial de cobre, o Chile é classificado como o mais desigual dos 34 integrantes da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O primeiro turno da eleição presidencial vai acontecer no dia 17 de novembro e um eventual segundo turno em dezembro. O vencedor vai tomar posse em março de 2014.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.