EUA/Estátua da Liberdade

Oito meses após tempestade Sandy, Estátua da Liberdade reabre

Americanos esperam cerimônia de reabertura da Estátua da Liberdade, em Manhattan
Americanos esperam cerimônia de reabertura da Estátua da Liberdade, em Manhattan REUTERS/Eduardo Munoz

Oito meses depois do furacão Sandy, a Estátua da Liberdade foi reinaugurada nesta quinta-feira em Nova York, no dia da Independência, data em que ela mais recebe turistas. No dia da reinauguração, as filas começaram antes mesmo do sol nascer, já que alguns visitantes faziam questão de ser os primeiros a visitar o monumento, um dos mais conhecidos do mundo.

Publicidade

Cercado de tambores, bandeirolas e americanos usando camisetas de temas patrióticos, o prefeito Michael Bloomberg, em uma curta cerimônia de reinauguração - com direito a corte de faixa -, disse esperar que esta seja "a última reabertura" da "Lady Liberty.

A tempestade Sandy atacou a costa leste dos Estados Unidos no último dia 29 de outubro, apenas um dia depois da reabertura da coroa da estátua, que havia passado por um ano de reformas. Setenta e cinco porcento da Liberty Island - pequena ilha ao sul de Manhatan, onde fica o monumento - inundou.

Dois píers foram destruídos, assim como as redes de eletricidade e telefone, as barreiras de segurança e o pavimento dos caminhos que levam à estátua. Mais de 53 mil tijolos tiveram de ser substituídos. Dois prédios anexos à estátua foram tão danificados que terão de ser demolidos.

De acordo com o porta-voz do serviço nacional de parques, John Warren, "a infra-estrutura continua sendo um desafio. É preciso não somente reparar a eletricidade ou o reaproveitamento de água, mas também mover essas estruturas para lugares em que elas estarão protegidas de futuras tempestades", disse.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.