Acessar o conteúdo principal
Mercosul

Mercosul quer maior competitividade através de acordos econômicos

Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de oferenda floral e fotografia oficial dos Presidentes dos Estados Partes do Mercosul. Caracas, Venezuela, 29/07/2014.
Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de oferenda floral e fotografia oficial dos Presidentes dos Estados Partes do Mercosul. Caracas, Venezuela, 29/07/2014. Roberto Stuckert Filho/PR
Texto por: RFI
3 min

Ampliar a área de influência comercial com a redução de taxas em busca de um perfil mais competitivo. Este é um dos principais temas que serão discutidos durante a Cúpula do Mercosul que acontece nesta terça-feira (29) em Caracas. No encontro, a Argentina vai receber a presidência temporária do bloco após meses de atraso.

Publicidade

Elianah Jorge, correspondente da RFI na Venezuela

A presidente Dilma Rousseff chegou no final da noite de ontem e preferiu não falar com a imprensa, porém o chanceler brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo, declarou que há consenso em implementar a tarifa zero em negociações com três países sul-americanos para ainda este ano e, não para 2019, como estava previsto anteriormente.

“O Mercosul tem acordos com Chile, Colômbia, Peru que prevêem um prazo de desgravação [eliminação total das tarifas]. Da nossa parte, já está muito avançado, mas nós queremos uma antecipação desses prazos. Há uma boa vontade dentro do Mercosul", declarou o chanceler.

Figueiredo evitou falar da situação dos fundos abutre, dívida que pode levar a Argentina a declarar calote após a decisão que será dada pela Corte de Nova York na próxima quarta-feira

Venezuela

De acordo com Elías Jaua, o chanceler venezuelano, o Mercosul está aberto para se relacionar com a Aliança do Pacífico, bloco econômico formado por Chile, Colômbia, Peru, México e Costa Rica -ainda que estes dois países não estejam incluídos na redução das taxas, conforme previsto pelo Brasil. No entanto, para Jaua, a resolução mais importante tem a ver com a promoção do \"espaço econômico e complementar do Caribe".

Há também planos para que os chefes de Estado do bloco formado por Brasil, Argentina, Venezuela, Paraguai e Uruguai assinem uma resolução para criar uma zona econômica com os países da plataforma de cooperação internacional Aliança Bolivariana para as Américas (Alba) e o Petrocaribe, a aliança criada em matéria petroleira entre países do Caribe e a Venezuela.

A agenda dos presidentes começa com uma homenagem ao herói nacional Simón Bolívar para, em seguida, se reunirem na sede da chancelaria venezuelana onde irão dialogar a portas fechadas. No início da tarde será formalizada a presidência de turno da Argentina.

A presidente chilena Michelle Bachellet cancelou a viagem a Caracas para se reunir com o comitê seu político para tratar de assuntos internos. Ela será representada pelo chanceler Heraldo Muñoz.

"Pajarito"

O presidente venezuelano Nicolás Maduro declarou que se encontrou novamente com o "pajarito", o passarinho que, segundo ele, seria a representação do falecido presidente Hugo Chávez, que ontem teria feito 60 anos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.