EUA/Estado Islâmico

Polícia de Nova York prende duas mulheres que dizem pertencer ao grupo EI

Desenhos feitos durante a audição de Noelle Velentzas (e) e Asia Siddiqui
Desenhos feitos durante a audição de Noelle Velentzas (e) e Asia Siddiqui REUTERS/Jane Rosenberg

A polícia de Nova York prendeu hoje duas mulheres que diziam integrar o grupo Estado Islâmico, sob a acusação de complô para fabricar uma bomba e cometer um atentado nos Estados Unidos.

Publicidade

As americanas Noelle Velentzas, de 28 anos, e Asia Siddiqui, de 31, dividiam um apartamento no Queens e eram seguidas por um agente do FBI disfarçado desde 2013.

De acordo com a procuradora federal Loretta Lynch, desde agosto de 2014, as duas planejavam um atentado. Ela ainda afirmou que, em junho de 2014, Noelle, que tem Osama Bin Laden como herói, teria declarado que pretendia morrer como mártir. No apartamento das duas, teriam sido encontradas diversas garrafas de gás, além de instruções sobre como transformá-las em explosivos.

Há duas semanas, Velentzas foi interrogada a respeito da prisão de Tairod Pugh, de quem ela é amiga no Facebook. Ex-mecânico da aeronáutica, Pugh teria tentado partir para a Síria para integrar a jihad - acusação que ele nega. Perguntada sobra a decisão do amigo, ela  teria dito nos Estados Unidos havia mais oportunidades de "agradar a Alá" do que na Síria.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.