Acessar o conteúdo principal
EUA/Racismo

Grupo racista Ku Klux Klan manifesta nos Estados Unidos

Militantes do Ku Klux Klan protestam diante do Parlamento da Carolina do Sul.
Militantes do Ku Klux Klan protestam diante do Parlamento da Carolina do Sul. REUTERS/Chris Keane

Texto por: RFI
3 min

O Ku Klux Klan (KKK) organizou neste sábado (18) uma manifestação diante do Parlamento da Carolina do Sul, nos Estados Unidos. O histórico grupo de defesa da supremacia branca protestava contra a decisão do governo local de retirar da esplanada do capitólio a bandeira confederada, que representa um símbolo do racismo para muitos norte-americanos.

Publicidade

Dezenas de membros do Ku Klux Klan (KKK) se reuniram diante da Parlamento. Os militantes entoaram cantos e slogans racistas e exibiram bandeiras confederadas ou com suásticas. O grupo, que não fez nenhum discurso, foi recebido com vaias. Segundo a imprensa local, mesmo se o protesto foi marcado por tensões entre manifestantes e opositores, nenhum incidente maior foi registrado.

Pouco antes da manifestação, cerca de 100 membros de um grupo intitulado "Black Educators for Justice" também se reuniram diante do Parlamento. Bandeiras com a cruz sulista, usada pelos defensores da escravidão nos Estados Unidos, foram rasgadas diante das câmeras.

O KKK protesta contra a retirada da esplanada do parlamento do Estado, no dia 10 de julho, da bandeira confederada. A decisão foi tomada pela governadora republicana da Carolina do Sul, Nikki Haley, logo após o assassinato de nove negros durante um massacre em uma igreja da cidade de Charleston. O crime foi cometido por Dylann Roof, um partidário da supremacia branca que justificou o ato alegando seu ódio aos negros. Fotos do criminoso exibindo armas e uma bandeira confederada foram publicadas na internet.

“Governo quer eliminar a cultura branca da história”

Em uma mensagem divulgada antes da manifestação, o grupo informou que o ato é uma homenagem a todos que morreram combatendo a tirania federal, uma alusão aos sulistas que defendiam a separação étnica nos Estados Unidos. “O governo tenta eliminar a cultura branca e nossa herança das páginas de história.”

O KKK é um grupo abertamente segregacionista, que semeou o medo no sul dos Estados Unidos, principalmente nos anos 1960, durante as manifestações pelos direitos civis dos afro-americanos. Na época, vários negros foram enforcados ou queimados vivos por seus membros, que costumavam usar túnicas e capuzes brancos pontiagudos.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.