Estados Unidos/Clima

Obama revela plano ambicioso contra mudanças climáticas

A seis meses da conferência do clima em Paris, o presidente norte-americano, Barack Obama, anuncia nesta segunda-feira (3) um plano inédito para lutar contra as emissões de gás carbônico.
A seis meses da conferência do clima em Paris, o presidente norte-americano, Barack Obama, anuncia nesta segunda-feira (3) um plano inédito para lutar contra as emissões de gás carbônico. REUTERS/Jonathan Ernst

O presidente norte-americano, Barack Obama, revelará nesta segunda-feira (3) o que chama de "maior e mais importante passo já dado" na luta contra mudanças climáticas, a seis meses da conferência sobre o clima em Paris, a COP21. A Casa Branca divulgará a última versão de seu plano de energia limpa, o America's Clean Power Plan, que reúne uma série de regulamentações ambientais destinadas a limitar, pela primeira vez, as emissões de carbono pelas centrais elétricas dos Estados Unidos.

Publicidade

De acordo com a correspondente da RFI em Washington, Anne-Marie Capomaccio, o texto prevê uma redução de 32% das emissões de gás carbônico na atmosfera até 2030, graças a uma profunda reforma do setor de produção de energia. Em sua proposta inicial de um ano atrás, a meta traçada era de 30%.

No entanto, antes mesmo do anúncio, vários Estados, apoiados por congressistas republicanos, declararam que vão protestar contra a nova lei. Para a maioria conservadora no Senado, o plano seria uma catástrofe para o emprego e aumentaria o preço da energia para os mais pobres. O senador Mitch McConnell, do Estado do Kentucky, já ameaça o governo de apelar à Justiça e ameaça os congressistas que se opuserem.

Energias renováveis

O plano de luta contra as emissões de gás carbônico que Obama deve apresentar hoje é ambicioso e adaptado a cada Estado. Para colocar as metas em prática, as centrais elétricas deverão utilizar energias renováveis, como a solar ou a eólica, por exemplo. Cada região é responsável por encontrar seu próprio ritmo, e um plano sobre os objetivos de cada Estado deve ser apresentado em 2018.

A previsão é de que a transição seja particularmente difícil para 14 Estados, especialmente os que utilizam energia proveniente do carvão, como o Kentucky, o Colorado ou o Wyoming. Nos Estados Unidos, o segundo país mais poluidor do mundo depois da China, 40% da energia é proveniente das centrais de carvão.

Problema das próximas gerações

Em um vídeo transmitido neste domingo (2), Obama afirmou que "a mudança climática já é um problema das próximas gerações". E acrescentou que "as usinas de energia são a única e mais prejudicial fonte de emissão da carbono, que contribui com a mudança climática".

Porém, segundo ele, até o momento não houve limites federais à poluição que essas usinas emitem na atmosfera. "Pelo bem dos nossos filhos, pela saúde e segurança dos norte-americanos, isso está prestes a mudar", concluiu o presidente norte-americano.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.