Acessar o conteúdo principal

Obama promete medidas para controle de armas nos EUA

Armas confiscadas no ataque de San Bernardino, Califórnia, dezembro de 2015.
Armas confiscadas no ataque de San Bernardino, Califórnia, dezembro de 2015. Fuente: Reuters.
3 min

Mal acabou de voltar de férias e no início de seu último ano no poder, o presidente americano, Barack Obama, quer passar à ofensiva a respeito do controle de armas no país. Ele vai anunciar, nesta terça-feira, uma série de medidas a respeito, de acordo com um comunicado.  

Publicidade

“Isso não vai acabar com os crimes violentos e tiroteios”, disse Obama na Sala Oval da Casa Branca, nesta segunda-feira (4), após encontro com a ministra da Justiça dos EUA, Loretta Lynch . “Mas vai permitir, potencialmente, salvar vidas neste país”, acrescentou.

Mais de 30 mil americanos morrem por disparos de armas de fogo a cada ano. O poder executivo cita um estudo realizado por uma organização do ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg. Segundo a pesquisa, sete crianças ou adolescentes morrem em média, por dia, por causa de tiros.

Frustrado com a inflexibilidade da oposição política sobre o controle de armas, apesar dos recorrentes tiroteios em massa no país, Obama busca contornar o Congresso com ações executivas que, segundo seus assessores, terão foco na regulamentação da venda de armas e na redução de vendas ilegais.

Controle de antecedentes deve estar nas medidas a serem anunciadas

A principal medida a ser adotada deverá ser a generalização de uma obrigação de controle de antecedentes judiciários e psiquiátricos antes de qualquer venda de armas. A compra de armas nos Estados Unidos é relativamente feita sem controles, principalmente por internet.

Mesmo sem conhecer o conteúdo das propostas presidenciais, republicanos já se mostram contra a iniciativa. Inclusive o candidato à nomeação republicana para a presidência Donald Trump. Em entrevista à CNN, o milionário ironizou a atitude de Obama, que “prefere passar duas semanas jogando golfe” a  se sentar com os congressistas para tentar chegar a um compromisso.

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, disse que Obama fará um pronunciamento "em breve" sobre as medidas administrativas que irão ajudar a "manter as armas longe das mãos de pessoas que não deveriam tê-las".

O Congresso, controlado pelos republicanos, já rejeitou medidas para reduzir a venda de rifles militares semi-automáticos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.