Boate Pulse, palco do massacre de Orlando, é local emblemático da causa gay nos EUA

Boate Pulse isolada pelos cordões policiais neste domingo
Boate Pulse isolada pelos cordões policiais neste domingo GERARDO MORA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

A boate Pulse, local do massacre da madrugada deste domingo em Orlando, é uma das casas noturnas mais emblemáticas da comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) nos Estados Unidos.

Publicidade

"Um mundo de diversão e fantasia, a boate mais quente de Orlando": assim se apresenta a Pulse em seu site, no qual há várias fotos, um tanto ousadas, de clientes em festa. O lugar é conhecido por seus espetáculos de drag queens.

O estabelecimento foi fundado em 2004, após um drama familiar. Sua co-fundadora e co-proprietária, Barbara Poma, proveniente de uma família ítalo-americana, conta que perdeu seu irmão John, em 1991, vítima da Aids.

Trata-se, então, para Barbara de homenagear um ente querido que desapareceu prematuramente para, ao longo do tempo, "despertar as consciências" para a luta da comunidade LGBT e a prevenção do vírus HIV.

Rede comunitária

A Pulse faz parte de uma rede comunitária dinâmica na Flórida, e promove, entre outros, os Jogos Gay, que ocorrerão em Paris em agosto de 2018, uma manifestação esportiva mundial para a qual Orlando foi candidata.

O governo do presidente Barack Obama fez da defesa da comunidade LGBT nos Estados Unidos e no mundo uma de suas prioridades.

De fato, os comportamentos e atitudes a respeito da homossexualidade mudaram notavelmente no país, como mostra o reconhecimento legal do casamento gay em todos os estados desde junho de 2015.

O ataque de hoje ocorre no mês do Orgulho Gay nos Estados Unidos, período no qual se multiplicam os eventos e celebrações no país.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.