Acessar o conteúdo principal

Pai de autor de massacre em Orlando diz que filho se revoltou ao ver gays se beijando

Pessoas se abraçam e choram após massacre na boate Pulse
Pessoas se abraçam e choram após massacre na boate Pulse Reuters
Texto por: Augusto Pinheiro
2 min

O pai de Omar Mateen, o homem identificado como o autor do pior massacre à arma de fogo da história dos Estados Unidos e morto pela polícia, disse que a ação não teve "nada a ver com religião".

Publicidade

O afegão Mir Seddique disse que seu filho ficou com muita raiva ao ver dois homens se beijando em Miami e acredita que o episódio tenha sido "relevante" para o ataque.

Pelos menos 50 pessoas morreram e 53 ficaram feridas no tiroteio na boate gay Pulse na madrugada deste domingo (12). As autoridades da Flórida declararam estado de emergência.

"Pedimos desculpas pelo incidente", afirmou o pai em entrevista à rede de televisão NBC. "Não sabíamos nada sobre suas ações. Estamos chocados como todo o país."

Muitos dos feridos continuam hospitalizados, e seis cirurgiões especializados em trauma foram enviados a Orlando. Um pedido de doação de sangue foi lançado.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.