Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Eleições no Chile têm candidato seminu e até "confessionários"

Áudio 04:34
Comício da candidata à prefeitura de Maipú, Cathy Barriga.
Comício da candidata à prefeitura de Maipú, Cathy Barriga. @cathybarriga
11 min

Os chilenos vão às urnas no dia 23 de outubro para escolher prefeitos e vereadores. Em um clima desaquecido de campanha, alguns candidatos estão usando recursos inusitados para dialogar com eleitores e levá-los a votar, além de apresentar propostas para as comunas do país. No Chile, desde as eleições municipais de 2012, o voto deixou de ser obrigatório.

Publicidade

Gabriel Toueg, correspondente da RFI em Santiago,

Com novas regras, mais restritas, para a campanha eleitoral, candidatos estão lançando mão da criatividade para anúncios nas ruas e na internet. Em La Reina, município da região metropolitana de Santiago, o candidato a prefeito José Manuel Palacios, do partido de direita Unión Demócrata Independiente (UDI), resolveu aparecer seminu em cartazes e vídeos.

"Eu me mostro da maneira como sou", diz Palacios em um vídeo publicado no Facebook, em que explica que os candidatos na antiga Roma usavam uma toga "mais branca do que o branco" e a tiravam "para que todos o vissem como um ser humano limpo, sem nada para esconder". Palacios, que é arquiteto e urbanista, foi vereador em La Reina por oito anos.

 

@palacio

Em Estación Central, outro município da região metropolitana de Santiago, o candidato a vereador César Rodríguez pelo Partido Radical (PR) aborda a questão da deficiência física a partir de seu próprio ponto de vista. Nascido sem a mão esquerda em função do uso de talidomida, medicamento associado à má formação física, Rodríguez adotou o slogan “Dê-me sua mão para chegar ao município”.

Embora já atue em favor das pessoas com deficiências há cerca de 20 anos - atualmente ele é presidente da Associação de Vítimas da Talidomida do Chile (Vitachi) -, Rodríguez é candidato pela primeira vez. O inusitado de sua campanha está no “brinde” que ele entrega aos eleitores: uma mão de madeira que serve para coçar as costas. À imprensa chilena ele tem dito que o presente tem um duplo sentido: é útil, como ele promete ser se receber uma “mãozinha” dos eleitores para ocupar o cargo.

A candidata à prefeitura de Maipú Cathy Barriga é conhecida no Chile porque foi celebridade de TV. Hoje, enquanto conversa com eleitores pelas ruas da comuna, também na região metropolitana de Santiago, não se afasta do filho recém-nascido. Para isso, usa um trailer que ela apelidou de “mami móvil”, uma casa sobre rodas com ar condicionado e toda a comodidade que o bebê precisa.

Pelo Instagram, recentemente, Barriga (cujo sobrenome em espanhol significa o mesmo, embora no Chile se use a palavra “guata”) contou que o filho pequeno tem um problema alimentar: não pode consumir leite ou derivados de carne. A candidata da coalizão de direita Chile Vamos contou sobre o veículo também pela rede social. Ao portal do jornal El Mercurio, contou que a ideia é "que Romeo (o filho) se sinta como um rei, acompanhando as atividades de campanha da mamãe".

As redes sociais são a fonte de inspiração do candidato a vereador por Santiago Danilo Monteverde, do Partido Humanista, do qual foi presidente. Sua comunicação de campanha usa os populares memes da internet em cartazes na vida real. A ideia, segundo ele, veio da campanha do democrata Bernie Sanders, nos Estados Unidos. Sanders “deixou em suas páginas e plataformas ferramentas para que as pessoas pudessem se apoderar da campanha”, afirmou.

“Pensando nisso, em nossa escala, acreditamos que o meme pode ser uma ferramenta para que as pessoas tomem a campanha em suas mãos e participem dela”, declarou. O candidato usa o recurso para discutir suas propostas para a cidade. Segundo ele, a iniciativa tem conquistado apoio popular.

A campanha de Felipe Alessandri, candidato a prefeito de Santiago pelo Renovación Nacional (RN), partido de centro-direita, resolveu instalar uma espécie de confessionário moderno, em que os eleitores podem gravar mensagens com propostas e reclamações sobre a capital. A cabine ambulante de Alessandri foi instalada na Plaza de Armas, ponto central e turístico da cidade, e desde então tem rodado o local.

"Confessionário" para reclamações e sugestões

@Nathaly_alvarez

Seu slogan, “Eu te escuto”, responde ao que o candidato diz ser um desejo da população, dos mais jovens aos mais velhos: o de ser ouvido pelas autoridades. Ele promete liderar uma prefeitura de Santiago muito mais próxima da população, em que os cidadãos tenham um papel central.

Há uma candidata a vereadora de Puerto Montt, no norte da Patagônia chilena, parecida com a princesa Merida, personagem do filme “Valente” (2012), da Disney. Verónica Sánchez, do Partido Demócrata Cristiano (DC) resolveu explorar a semelhança em sua campanha, com cartazes inspirados no filme e com os dizeres “Para ser vereadora de Puerto Montt, deve-se ser valente”.

Verónica, que é jornalista e assessora do deputado Patricio Vallespín, garante que o meme foi bem recebido pela população. E reconhece que, como a princesa, seu cabelo despenteado é sua marca. Ela lembra ainda que a política, em Puerto Montt, capital da região dos Lagos, é feita por homens - daí a necessidade de ser valente.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.