Acessar o conteúdo principal

Hackers acusam NSA de invadir rede financeira internacional

Hackers sugerem que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) penetrou a rede internacional financeira SWIFT.
Hackers sugerem que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) penetrou a rede internacional financeira SWIFT. REUTERS/Kacper Pempel/Files
Texto por: RFI
1 min

Documentos publicados por hackers conhecidos como "Shadow brokers" sugerem que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) penetrou a rede internacional financeira SWIFT e monitorou vários bancos do Oriente Médio.

Publicidade

Os documentos, de acordo com analistas de segurança em computação, também mostram que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) encontrou muitas vulnerabilidades em produtos da Microsoft Windows utilizados em computadores de todo o mundo.

Os analistas confirmaram que os documentos, que mostram vulnerabilidades desconhecidas até agora em software e hardware comuns, vinham da NSA.

Os especialistas acreditam que os documentos foram roubados de uma unidade hipersecreta de pirataria cibernética conhecida como "Equation Group", da agência de inteligência dos Estados Unidos.

Os documentos parecem indicar que a NSA infiltrou dois escritórios da rede internacional financeira SWIFT, incluindo o EastNets, que fornece serviços de tecnologia no Oriente Médio para a SWIFT, com sede na Bélgica, e para instituições financeiras individuais.

Através desse ponto de entrada, informações  reveladas pelos hackers mostram que a agência monitorou vários bancos e instituições financeiras em Kuwait, Dubai, Bahrein, Jordânia, Iêmen e Catar.

A EastNets negou essas afirmações em um comunicado em seu site. A SWIFT disse em um comunicado que essas afirmações só envolvem seus escritórios de serviço, e não sua rede on-line.

Com informações da agência AFP

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.