Santa Teresa, a "Montmartre tropical", atrai hotéis franceses

Bairro de SantaTeresa no Rio de Janeiro.
Bairro de SantaTeresa no Rio de Janeiro. A. Brandão

O crescimento sustentado brasileiro atrai cada dia mais empresas francesas. Hoje, existem 420 subisidiárias francesas no país, 25% a mais do que no início dos anos 2000. Um bom exemplo do aumento desse interesse é o charmoso bairro carioca de Santa Teresa, que vê o número de seus hotéis se multiplicar e já esta sendo chamado de a "Montmartre tropical", numa referência ao famoso bairro boêmio e artístico de Paris.

Publicidade

Santa Teresa, com seus casarões antigos e bondinho, começou a interessar os empresários estrangeiros, e principalmente franceses, há cerca de cinco anos. O charmoso bairro carioca, outrora refúgio da elite carioca, estava decadente, foi redescoberto por investidores interessados em fazer bons negócios no setor de hotelaria e as organizações da Copa do Mundo 2014 e das Olímpiadas no Rio em 2016 não são os motivos desse interesse.

Um dos primeiros hotéis franceses a abrir em Santa Teresa foi Mama Ruisa, instalado em um casarão com vista para a Baía de Guanabara. O Mama Ruisa tem apenas 7 suites e é um hotel butique com categoria 5 estrelas. O proprietário Jean-Michel Ruis queria abrir um hotel em Tanger, no Marrocos, mas foi seduzido por Santa Teresa.

Veja as fotos

O Casa Amarelo, assim mesmo no masculino denunciando o sotoque francês do proprietário Laurent Gélis, foi o segundo hotel butique a abrir em Santa Teresa. Com vista para o centro do Rio, o hotel instalado em um casarão de 1904, tem 5 suites de luxo. O gerente Matthieu Romancant diz que como o bairro Montmartre parisiense, Santa Teresa está ficando agitada culturalmente, com a organização de vários eventos.

Hotel dos descasados

Um dos investidores estrangeiros no bairros é o grupo francês Luminar que comprou em 2004, por 10 milhões de reais, o Hotel Santa Teresa, conhecido na época pelos cariocas como o hotel dos descasados.

Após 4 anos de reformas, que custaram 20 milhões de reais, a antiga sede da fazenda de café foi reaberta como um hotel 5 estrelas, de 44 quartos, que integra o chiquérrimo selo « relais&château ». Juan Sander, gerente do hotel Santa Teresa, diz que os hotéis butiques estão redinamizando o bairro e fazendo os cariocas redescobrir Santa Teresa. Os habitantes da cidade voltam a pegar o bondinho para passear pelas ruas estreitas e tortuosas do bairro nos finais de semana. 60% dos hóspedes do hotel são estrangeiros, e entre os 40% de brasileiros, 20% são cariocas.

Para os interessados em conhecer o charmoso bairro carioca, um detalhe: as diárias dos hotéis Mama Ruisa, Casa Amarelo e Santa Teresa variam de 500 a 850 reais, em média.

O crescimento sustentado brasileiro atrai cada dia mais empresas francesas.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.