Eleições/Brasil

Herdeira de Lula promete acabar com miséria, diz Le Monde

Primeira página do jornal vespertino Le Monde datado de terça-feira, 3 de novembro.
Primeira página do jornal vespertino Le Monde datado de terça-feira, 3 de novembro.

A vitória de Dilma Rousseff mereceu a primeira página do jornal francês Le Monde, que publica uma grande foto dos partidários da candidata celebrando o resultado, em São Paulo.

Publicidade

Depois de descrever os detalhes eleitorais da vitória da primeira mulher presidente do Brasil, o artigo do jornal francês Le Monde constata que Luiz Inácio Lula da Silva, seu mentor e predecessor, venceu um imenso desafio: eleger sua protegida, transferindo-lhe uma grande parte de sua imensa popularidade (82% de opinião pública favorável), graças ao seu carisma, aos laços privilegiados que soube desenvolver com seu povo e, principalmente, pela melhoria das condições de vida dos brasileiros durante seus dois mandatos. No fim das contas, a maioria do eleitorado preferiu a continuidade prometida por Dilma do que a experiência política representada por José Serra, escreve o jornalista Jean-Pierre Langellier.

Promessas e prioridades

O artigo fala do discurso emocionado da vencedora, no domingo, quando homenageou a inteligência de Lula da Silva, ao qual deve sua vitória; e cita um exemplo da tranquilizante política de continuidade desejada pela maioria dos eleitores, ao publicar uma declaração de Dilma: "Baterei com frequência na porta de Lula e tenho certeza de que ela estará sempre aberta".  O jornal também enfatiza a promessa da presidente eleita de erradicar a miséria: "Não podemos descansar enquanto tantos brasileiros sofrem com a fome", ressaltou Dilma. Ela também prometeu, em primeiro lugar, honrar as mulheres para que a ascensão do gênero feminino a uma posição máxima passe a ser uma coisa comum.

Para o jornal francês, Dilma enviou um recado a uma ala do PT que prega um "controle social" das mídias, ao exaltar a liberdade de imprensa e dizer que prefere o barulho de uma imprensa livre do que o silêncio das ditaduras.

Le Monde encerra o artigo dedicado à presidente eleita comentando que ela espera que, antes de sua posse, Lula tenha resolvido algumas pendências delicadas; são citados o destino do ex-ativista italiano Cesare Battisti e a escolha do novo avião que vai equipar a Força Aérea Brasileira. "A França espera ansiosamente que o Brasil dê preferência ao seu caça Rafale", conclui o jornal.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.