Brasil/Inundações

Jornais franceses continuam repercutindo enchentes no Brasil

Jornal francês Libération dá destaque para os deslizamentos de terra em Teresópolis.
Jornal francês Libération dá destaque para os deslizamentos de terra em Teresópolis. RFI

O jornal Libération traz reportagem de duas páginas realizada em Teresópolis. O diário questiona a responsabilidade das autoridades do Estado do Rio na catástrofe que atingiu a região serrana. Já o vespertino Le Monde analisa as enchentes no Brasil, Austrália, Filipinas e Sri Lanka e avalia o impacto do aquecimento do planeta nas inundações

Publicidade

O jornal Libération desta segunda-feira traz reportagem de duas páginas realizada em Teresópolis. O diário explica que os moradores da cidade cobram explicações das autoridades municipais, alegando que em vários bairros os morros vizinhos apresentavam fissuras muito tempo antes da chegada do dilúvio fatídico da semana passada. "Pagamos impostos para nada", diz indignado um morador do bairro Granja Florestal, um dos mais afetados pelos deslizamentos de terra.

Libération informa que nas três cidades mais atingidas (Teresópolis, Nova Friburgo e Petrópolis) existem pelo menos 5 mil casas construídas em zonas de risco. O drama na região serrana do Rio já custou a vida a mais de 600 pessoas e 14 mil estão desabrigadas, relata Libé. "Uma tragédia que o Brasil poderia ter evitado e que nunca mais deve se reproduzir", afirma Margareta Wahlstrom, a secretária adjunta da ONU para a redução dos Riscos e Desastres Naturais.

Em sua edição de terça-feira o verpertino Le Monde faz uma análise das inundações que atingem o mundo atualmente. O jornal compara as chuvas que castigaram Brasil, Austrália, Filipinas e Sri Lanka, e se questiona sobre o papel do aquecimento global nas tragédias. Para o jornal, os fenômenos meteorológicos extremos que o mundo enfrenta atualmente podem se tornar cada vez mais comuns.

Sarkozy envia mensagem ao Brasil

Em uma carta enviada na última quinta-feira, mas divulgada apenas nesse domingo, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, enviou uma mensagem de solidariedade à presidente Dilma Rousseff. O chefe de Estado disse que ficou triste e emocionado ao tomar conhecimento do grande número de vítimas das inundações brasileiras. Ele pediu à presidente Dilma Rousseff para transmitir "sinceros pêsames em seu nome e em nome do povo francês" aos familiares das vítimas da catástrofe no Rio de Janeiro.

O papa Bento 16 também enviou uma mensagem de solidariedade e pediu neste domingo força aos desabrigados das enchentes no Brasil, onde mais de 14 mil pessoas perderam suas casas. O sumo pontífice falou durante a cerimônia dominical do Angelus, celebrada na praça São Pedro, no Vaticano. O chefe da igreja católica também se solidarizou com as vítimas das inundações em outras regiões do mundo, como a Austrália, as Filipinas e o Sri Lanka.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.