Caso/Battisti

Parlamento Europeu vota pedido de extradição de Battisti para Itália.

O Parlamento italiano vota resolução sobre a extradição de Battisti para Itália.
O Parlamento italiano vota resolução sobre a extradição de Battisti para Itália. Reuters

O Parlamento Europeu vota nesta quinta-feira uma resoluçãoo pedindo às autoridades brasileiras que concedam a extradição de Batttisti à Itália. Ontem, o eurodeputado italiano Mario Mauro, do conservador Partido Popular Europeu, organizou uma entrevista coletiva no Parlamento, em Estrasburgo, com a participação dos familiares das vítimas do grupo do qual Battisti fazia parte nos anos 70.

Publicidade

O eurodeputado italiano Mario Mauro, do Partido Popular Europeu, deu uma entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, ao lado de familiares de vítimas de Cesare Battisti, para sensibilizar os eurodeputados sobre a importância de se obter a extradição do ex-ativista para a Itália.

Participaram da coletiva Alberto Torregiani, Maurizio Campagna, Alessandro Santoro e Adriano Sabbadin. Torregiani ficou paralítico e assim como Santoro e Sabbadin perdeu o pai assassinado pelo grupo Proletários Armados pelo Comunismo, o grupo de Battisti, na década de 70. Campagna perdeu o irmão.

O Parlamento Europeu vota nesta quinta-feira uma resolução pedindo às autoridades brasileiras que concedam a extradição de Battisti. Citando as excelentes relações entre a União Europeia e o Brasil, o texto expressa o desapontamento dos eurodeputados com a decisão das autoridades brasileiras em negar o pedido italiano, "uma atitude que mina os princípios básicos do direito penal", segundo a resolução.

José Francisco Rezek, ex-juiz na Corte de Haia.

O documento pede que a decisão sobre a extradição de Battisti seja revista, levando em consideração o julgamento ocorrido na Itália. Julgado à revelia, Battisti foi condenado à prisão perpétua por participação direta ou indireta em quatro crimes. O texto da resolução lembra que o respeito mútuo, aos direitos fundamentais, inclusive o direito de defesa, e de um tratamento equitável dos assuntos marcam a relação de parceria entre o Brasil e a União Europeia.

A resolução vai ser enviada a todos os governos do bloco europeu, à Comissão Europeia, à presidente Dilma Rousseff, ao presidente do Congresso brasileiro, e ao atual presidente do Mercosul, o paraguaio Fernando Lugo.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Cezar Peluso, disse esta semana que vai reexaminar o caso Battisti, em fevereiro, levando em conta o tratado de extradição firmado entre o Brasil e a Itália. Peluzo afirmou que se o STF chegar à conclusão que a decisão tomada pelo ex-presidente Lula no último dia de seu governo contrariar o tratado, o tribunal poderá aceitar o pedido de extradição de Battisti para a Itália.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.