Cesare Battisti/Extradição

Itália envia carta à Dilma Rousseff e pede extradição de Battisti

O presidente italiano, Giorgio Napolitano, enviou carta a Dilma Roussef pedindo a extradição de Battisti.
O presidente italiano, Giorgio Napolitano, enviou carta a Dilma Roussef pedindo a extradição de Battisti. (Photo : Reuters)

O presidente da Itália, Georgio Napolitano, enviou, nesta sexta-feira, carta à presidente Dilma Roussef para pressionar o governo brasileiro pela extradição do ex-ativista italiano, Cesare Battisti. Ele foi condenado à revelia na Itália por 4 homicídios na década de 70 e está atualmente detido no Brasil.

Publicidade

A carta, entregue a embaixada brasileira na semana passada, pede que a nova líder brasileira respeite o acordo bilateral de extradição entre a Itália e o Brasil.

No texto, o presidente italiano se refere diretamente a Cesare Battisti, a quem chama de "terrorista". Alegando amargura e decepção, Napolitano diz que a Itália e as supostas vítimas de Battisti precisam "ver a justica prevalecer".

O presidente, mais uma vez, menciona a possibilidade de que o governo italiano recorra ao Tribunal Internacional de Justica para que oBrasil cumpra sua parte no acordo de extradição.

A pressão para a extradição do ex-ativista cresce na Europa. Ontem, o Parlamento Europeu adotou resolução pedindo ao governo brasileiro que reveja a decisão de não extraditar o Battisti para a Itália.

O voto no parlamento está sendo visto como um apoio moral e político à extradição do ex-militante do grupo Proletários Armados pelo Comunismo, condenado à revelia na Itália por quatro homicídios.

Por Paula Schmmit, correspondente da RFI na Itália

 

Correspondente da RFI

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.