Brasil/UE

Chanceler Patriota elogia interesse da União Europeia pelo Mercosul

A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, durante encontro com o chanceler brasileiro Antonio Patriota, em Bruxelas.
A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, durante encontro com o chanceler brasileiro Antonio Patriota, em Bruxelas. Reuters

A parceria estratégica Brasil-União Europeia e as negociações comerciais UE-Mercosul foram destaque na primeira reunião de alto nível entre o novo ministro das Relações Exteriores brasileiro, Antônio Patriota, e o bloco europeu.

Publicidade

De Letícia Fonseca, correspondente em Bruxelas,

Em Bruxelas, Patriota se reuniu com o presidente do Conselho Europeu, Herman Von Rompuy, a chefe da diplomacia européia, Catherine Ashton, e o presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso. “Estou satisfeito com o nível de interesse que há sobre o que se passa no Brasil e no Mercosul, esse engajamento político é extremamente benéfico”, afirmou.
Na coletiva para a imprensa, o ministro disse que os encontros serviram de oportunidade para informar que não haverá mudanças radicais nas prioridades da política externa do governo da presidente Dilma Rousseff. “Continuaremos a construir uma zona sul-americana de paz e cooperação, sem neglicenciar novos parceiros da África, Ásia, ou de países desenvolvidos da Europa, os EUA e Japão”, ressaltou.

Battisti

Segundo Patriota, o caso do ex-ativista de esquerda Cesare Battisti não foi discutido. Para ele, essa é uma questão que deve ser tratada entre os Judiciários italiano e brasileiro. “Mas se houver alguma repercussão nas relações bilaterais, irei intervir”, assegurou. Battisti, que foi condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos, está preso no Brasil desde 2007.

A tensão diplomática entre os dois países se intensificou no último dia do ano passado quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou a extradição de Battisti. A decisão provocou protestos na Itália.

Antônio Patriota confirmou que a linha política em relação ao Irã será semelhante a do governo Lula, e fez questão de frisar, que o Brasil é um país que se identifica com a procura de alternativas diplomáticas. E acrescentou que “nosso desejo é promover mecanismos mais eficazes, mais democráticos e representativos, nos quais nos possamos resolver as situações de tensão pelas vias do diálogo e da diplomacia”

Europeus e brasileiros confirmaram que a próxima etapa de negociações entre UE-Mercosul será nos dias 17 e 18 de março, em Bruxelas. O ministro brasileiro informou que a presidente Dilma Roussef deve participar da reunião de cúpula Brasil-UE, em outubro próximo. Da capital belga, Patriota segue para Davos, onde participará do Forúm Econômico Mundial.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.