FAO/Eleição

Candidato brasileiro defende fortalecimento da FAO

Kofi Annan discursou na abertura da Conferência da FAO neste sábado, em Roma.
Kofi Annan discursou na abertura da Conferência da FAO neste sábado, em Roma. ©FAO/Giulio Napolitano

Os seis candidatos à direção-geral da agência da ONU para a Agricultura e Alimentação (FAO) discursaram hoje, em Roma, na 37ª conferência da organização, aberta pelo ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan. O ex-ministro de Relações Exteriores da Espanha, Miguel Ángel Moratinos, e o brasileiro José Graziano da Silva são dados como favoritos. O candidato brasileiro defendeu em seu discurso o fortalecimento da FAO.

Publicidade

A ordem dos discursos dos candidatos à direção-geral da FAO foi escolhida por sorteio. Eles apresentam seus programas às delegações presentes, antes da votação de domingo. O ex-ministro de Relações Exteriores espanhol Miguel Ángel Moratinos foi o primeiro a falar. Ele foi seguido por Abdul Latif Rasih do Iraque, Franz Fischler da Áustria, Indroyono Seoselio da Indonésia, José Graziano da Silva do Brasil e Mohammad Saeid Noori do Irã.

O candidato brasileiro, especialista em segurança alimentar e atual subdiretor da agência da ONU para Alimentação e Agricultura, disse que o mundo atual precisa que a FAO seja mais forte e eficaz do que nunca. José Graziano lamentou o logo período de negligência na agricultura, pesca, desenvolvimento rural e segurança alimentar.

Também neste sábado, na Conferência da FAO em Roma, o ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan criticou a falta de cooperação internacional para resolver o problema da fome no mundo e acusou os países ricos de comprarem terras agrícolas nos países pobres, a fim de garantir a alimentação de suas populações, em detrimento das populações locais e da agricultura familiar.

Brasil e Espanha favoritos

O brasileiro José Graziano da Silva, ex-ministro do governo Lula, e o ex-chanceler espanhol Míguel Ángel Moratinos são favoritos à sucessão do senegalês Jacques Diouf. A eleição ocorrerá neste domingo a partir das 10h30, 5h30 no horário de Brasília, com votação secreta dos 191 países membros da organização. O vencedor deve obter metade mais um dos votos e a posse está marcada para 1º de janeiro de 2012.

O Brasil pode contar com o apoio de 40 países, entre eles todos da região América Latina e Caribe, à exceção do México, assim como dos países da comunidade de língua portuguesa. Um especialista lembra que a “FAO é tradicionalmente dirigida por um representante dos países em desenvolvimento e que o Brasil não vai deixar de reivindicar este direito, principalmente neste momento em que a candidata europeia Christine Lagarde deve ser eleita para comandar o Fundo Monetário Internacional.”
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.