Acessar o conteúdo principal
Dia Mundial da Prematuridade

Brasil está entre os 10 países com maior índice de bebês prematuros

Brasil está entre os 10 países com maior índice de bebês prematuros, segundo OMS.
Brasil está entre os 10 países com maior índice de bebês prematuros, segundo OMS. Institut de puériculture et de périnatalogie de Paris
Texto por: RFI
2 min

De acordo com um relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta sexta-feira, véspera do Dia Mundial da Prematuridade, o Brasil está entre os 10 países com maior índice de bebês prematuros. Também fazem parte da lista dos piores resultados a China, a Nigéria, a Indonésia, o Paquistão, a Índia, os Estados Unidos, as Filipinas, Bangladesh e a República Democrática do Congo.

Publicidade

Mais de uma criança em cada dez nasce antes da 37ª semana de gestação todos os anos. Ao todo, elas são 15 milhões, 1 milhão não sobrevive. A prematuridade é a principal causa de morte de bebês de até um mês de idade e a segunda, depois da pneumonia, em crianças menores de cinco anos.

Os índices de bebês prematuros variam de acordo com a riqueza do país, nos estados mais ricos 9% das crianças nascem antes do tempo, já nos menos favorecidos a taxa chega a 12%. De acordo com a organização, 60% dos casos de recém-nascidos prematuros se encontram na Africa e no sul da Ásia. Dentre os 65 países que forneceram dados confiáveis, foi constatado um aumento do fenômeno nos últimos 20 anos. 

A OMS atribui o aumento de nascimentos antes do tempo ao maior número de mulheres engravidando cada vez mais velhas e ao uso de tratamentos contra a infertilidade, que facilitam a gravidez múltipla. O órgão aponta também como explicação a prática em determinados países de cesarianas antes do fim do período de gestação e a estimulação artificial do parto, sem haver uma necessidade do ponto de vista médico. Em países mais pobres, a malária, as infecções, a AIDS e a alta taxa de gravidez  na adolescência explicam o crescimento da quantidade de bebês prematuros.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.