Brasil/protestos

Integrantes do Movimento Passe Livre devem se reunir com Dilma hoje

A orla da zona sul do Rio de Janeiro teve sua primeira manifestação na tarde deste domingo,23, contra PEC 37.
A orla da zona sul do Rio de Janeiro teve sua primeira manifestação na tarde deste domingo,23, contra PEC 37. REUTERS/Pilar Olivares
Texto por: RFI
4 min

Representantes do movimento que deu origem às manifestações no Brasil deverão se reunir com a presidente por volta das 14h, no horário de Brasília. Segundo a imprensa brasileira, Dilma também terá encontros em Brasília, onde deverá discutir com governadores e prefeitos propostas de melhorias em vários setores, entre eles o da saúde e o da educação.

Publicidade

Os integrantes do Movimento Passe Livre publicaram uma carta aberta nesta segunda-feira em seu site, onde se dizem ‘’surpresos com o convite.’’ No texto, seus representantes lembram que "esse gesto de diálogo que parte do governo federal destoa do tratamento aos movimentos sociais que tem marcado a política desta gestão", e ressaltam que são um ‘’movimento social autônomo, horizontal e apartidário, que jamais pretendeu representar o conjunto de manifestantes que tomou as ruas do país.’’

O Passe Livre também disse que continuará a defender a proposta da tarifa zero. ‘’Nesse sentido gostaríamos de conhecer o posicionamento da presidenta sobre a tarifa zero no transporte público e sobre a PEC 90/11, que inclui o transporte no rol dos direitos sociais do artigo 6o da Constituição Federal.’’

Depois de dez dias de protestos, os maiores no país desde o movimento dos caras-pintadas em 1992, a contestação não dá sinais, por enquanto de enfraquecimento. Uma nova manifestação contra a violência policial foi convocada desta terça-feira em São Paulo, pelos movimentos Periferia Ativa e Resistência Urbana, e terá o apoio do Passe Livre. Hoje, a passagem de ônibus em São Paulo voltou a custar R$ 3, depois do anúncio da revogação feita pelo prefeito Fernando Haddad e o governador Geraldo Alckmin na última quarta-feira. Mas a questão do transporte agora se soma a outras reinvidicações, que incluem, por exemplo, os gastos do governo com a Copa do Mundo, a corrupção e o projeto da emenda constitucional que ficou conhecida como PEC37, que diminui o poder de investigação do Ministério

Em nota publicada no Blog do Planalto neste domingo, o governo afirma que "não há um centavo do Orçamento da União direcionado à construção ou reforma das arenas para a Copa" e que "é importante reforçar que todos os investimentos públicos do Governo Federal para a preparação da Copa 2014 são em obras estruturantes que vão melhorar em muito a vida dos moradores das cidades. São obras de mobilidade urbana, portos, aeroportos, segurança pública, energia, telecomunicações e infraestrutura turística."

Para FHC, Brasil está no caminho errado

Em sua participação no programa Canal Livre, da rede Bandeirantes, neste domingo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso defendeu uma reforma institucional, disse que capitalizar politicamente a contestação é perda de tempo, já que se trata se um movimento social. Segundo ele, a gestão PT também errrou em adotar um modelo que ele caracterizou como ‘’o da China ao contrário”, incentivando o consumo sem investimentos. Ele também admitiu que qualquer governo, incluindo o seu, tem “erros e acertos”, e disse que o Congresso deixou de ser a caixa de ressonância do povo.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.