Acessar o conteúdo principal
Brasil/França

Suspeito de liderar rede de venda ilegal de ingressos da Copa é destaque na imprensa francesa

O diretor executivo da Match, o britânico Ray Whelan(a esquerda), suspeito de liderar esquema de cambistas foi libertado nesta madrugada, graças a um Habeas Corpus emitido pelo poder judiciário.
O diretor executivo da Match, o britânico Ray Whelan(a esquerda), suspeito de liderar esquema de cambistas foi libertado nesta madrugada, graças a um Habeas Corpus emitido pelo poder judiciário. REUTERS/Stringer
Texto por: RFI
2 min

A imprensa francesa deu destaque hoje ao caso da venda de ingressos ilegais para a Copa do Mundo, envolvendo a empresa Match Services, associada à Fifa. Seu diretor-executivo, o britânico Raymond Whelan, 64, foi solto na madrugada desta terça-feira (8).

Publicidade

A Justiça brasileira aceitou o pedido de alvará de soltura impetrado pelo advogados do diretor-executivo, que havia sido detido nesta segunda-feira no hotel Copacabana Palace, na zona sul do Rio de Janeiro. 

O site do Le Monde destaca que o franco-argelino Mohamadou Lamine Fofana faz parte da rede criminosa desmantelada na semana passada no Rio e em São Paulo pela Polícia Federal.

Inicialmente, os investigadores desconfiaram que ele seria o chefe da organização, mas Fofana é tido como o braço direito de Whelan, como revelaram os telefonemas entre os dois. A rede, ativa desde 2002, vendia ilegalmente cerca de mil ingressos por jogo, por cerca de 1000 euros. As entradas, em sua maioria, são fornecidas pela Fifa às federações e parceiros oficiais.

Empresa de sobrinho de Blatter é acionista da Match Services

O site da rádio francesa RTL lembra que a Match Services tem, entre seus acionistas, uma outra companhia, Infront Sports and Media, baseada na Suíça e dirigida por Philippe Blatter, sobrinho de Joseph Blatter, número 1 da Fifa. O presidente da Federação declarou desconhecer a venda de ingressos, alegando que "cuida de política."

O site do Libération também publicou uma reportagem sobre o tema. O texto lembra que a Match Hospitality não é uma filial da Fifa, mas mantém uma ligação próxima com a Federação, que já atribuiu à empresa, por exemplo, a exclusividade de seus serviços de comercialização de ingressos para as Copas do Mundo em 2018 na Rússia e em 2022 no Catar.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.