Eleições 2014

Grotões do Nordeste sustentam Dilma, diz Le Monde

Um primeiro turno incerto é a manchete do jornal francês Le Monde de sábado, 4 de outubro de 2014.
Um primeiro turno incerto é a manchete do jornal francês Le Monde de sábado, 4 de outubro de 2014. lemonde.fr

A edição do fim de semana do jornal Le Monde dá grande destaque ao primeiro turno das eleições, domingo (5), no Brasil. O prestigioso jornal francês considera que o último debate televisivo entre os presidenciáveis confirmou as expectativas, com um clima "tenso e animado" entre os concorrentes. Em reportagem no Nordeste, Le Monde mostra que a região "ainda vota" majoritariamente no PT.

Publicidade

Agora que a presidente Dilma Rousseff (PT) confirma seu favoritismo no primeiro turno, segundo as últimas pesquisas, Le Monde foi até o Nordeste para entender a mecânica eleitoral que empurra Dilma para uma vitória, apesar da campanha difícil, marcada pelo escândalo de corrupção na Petrobras.

Com uma reportagem em Lajedo, a duas horas de Recife, no interior de Pernambuco, região onde nasceu o ex-presidente Lula, Le Monde mostra que as cidades de menos de 50 mil habitantes, distantes das grandes metrópoles, representam 40% do eleitorado brasileiro. "No semiárido brasileiro, que se estende por sete Estados, está o coração eleitoral do PT", informa o jornal.

Segundo a última pesquisa do Ibope, Dilma tem 54% de intenções de voto nesses vastos territórios, chamados pelos especialistas de grotões. A questão é saber por quê. Le Monde dá a palavra a eleitores e especialistas da região.

"As pessoas não morrem mais de fome"

André da Lima, empregado em uma transportadora, diz que "desde que o PT de Lula está no governo, as pessoas não morrem mais de fome". Cida Lima, funcionária da prefeitura de Lajedo, cidade em que 70% da população se beneficia do programa Bolsa Família, afirma ao jornal que "questionar o Bolsa Família, hoje, poderia tocar fogo no país". Algumas declarações de Marina Silva no início da campanha, que sugeriram eventuais ajustes no programa, soaram como uma ameaça no eleitorado nordestino.

Ouvido pelo jornal, o professor de Ciências Políticas da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), Thales Castro, explica que o voto petista migrou das camadas mais instruídas da população para os segmentos mais carentes. O professor de Filosofia da Unicap Gilbraz Aragão não vê nada de anormal na ligação entre o boletim de voto e o Bolsa Família. Segundo ele, "pela primeira vez, um governo dá atenção aos desfavorecidos e ainda com um programa amplo". As dificuldades permanecem, mas o Nordeste nunca se sentiu tão bem, conclui Le Monde.

Debate na TV

Todos contra Dilma. Essa fórmula resume a forma como o Le Monde viu o debate de ontem na TV Globo. A presidente e candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, tem 40% de intenções de voto, de acordo com as últimas pesquisas, bem à frente de Marina Silva (PSB) , com 24%, e de Aécio Neves (PSDB), que oscila entre 19 e 21%.

Com um tal cenário, todos os adversários foram para cima de Dilma, relata o Le Monde. Ela foi cobrada pelo escândalo de corrupção na Petrobras, mas rebateu as acusações dos rivais dizendo que nenhum outro governo combateu a corrupção no Brasil tanto quanto o seu.

A dois dias da votação, o resultado do primeiro turno continua imprevisível, assinala Le Monde.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI