Brasil/eleições

Penúltimo debate entre Dilma e Aécio teve tom mais ameno

Dilma Rousseff e Aécio Neves se enfrentam em debate da Rede Record.
Dilma Rousseff e Aécio Neves se enfrentam em debate da Rede Record. Reprodução/Record

Atendendo a um desejo dos eleitores, Dilma Roussef (PT) e Aécio Neves (PSDB) tentaram substituir as trocas de acusações por discussões mais concretas. E a guerra de números sobre o desempenho econômico do Brasil foi o assunto preferido dos dois candidatos para tentar seduzir o eleitorado a uma semana do segundo turno.

Publicidade

Da enviada especial da RFI ao Rio de Janeiro

No começo do primeiro bloco do debate, os dois candidatos pareciam estar num clima quase de "paz e amor". As primeiras questões foram concentradas, principalmente, nas questões econômicas e temas mais leves como o sistema de simplificação de tributos, o Simples.

Mas a trégua não durou muito. Aécio atacou a gestão da economia do governo. Citando dados do FMI, ele destacou que o PIB brasileiro não deve crescer mais do que 0,3% e que o Brasil "permanece na lanterna do crescimento na região [América Latina]".

Para Dilma, Aécio é " pessimista" em relação ao presente e ao futuro econômico do Brasil. "O senhor pode se esforçar bastante, mas não vai tirar o fato de termos a menor taxa de desemprego da história". Ela também se defendeu das acusações de ter perdido a guerra contra a inflação e criticou o que poderia ser a política econômica de Armínio Fraga, ministro anunciado da Economia caso o candidato do PSDB seja eleito. "O cozinheiro é o mesmo: Armínio Fraga. A receita é a mesma: recessão, recessão e recessão”.

Petrobras volta a ser discutida

O clima voltou a esquentar quando Aécio citou mais uma vez os escândalos da Petrobras. Com um tom irônico, ele "parabenizou a candidata por ter reconhecido os desvios na empresa”. Sem meias palavras, ele afirmou: "a Petrobras vai muito mal e vamos profissionalizar gestão", disse.

Ao retrucar, a presidente também atraiu o PSDB para o “Petrolão” e lembrou que nomes do partido também foram citados como participantes do esquema de contratos fraudulentos. "Vocês venderam as ações da Petrobras a preço de banana. Vocês não têm a menor moral para falar sobre a Petrobras", rebateu Dilma.

Projetos apresentados pelos candidatos para a educação decepcionam

No tema educação, Dilma tentou lançar todas as suas armas. Ela questionou sobre o Pronatec, uma das vitrines do seu mandato. Sem hesitar, Aécio respondeu : "Vamos manter o Pronatec" e "prometeu ampliar as horas do curso" do programa. O tucano também insistiu que pretende "construir as creches que Dilma não fez".

Apesar da superficialidade de muitos temas discutidos, ao final, a plateia ,que reunia militantes dos dois partidos se comportou como em um final de espetáculo aplaudindo com entusiasmo as considerações finais dos dois. Aécio insistiu que é o único « capaz de mudar de verdade o Brasil ". Já Dilma, disse ter "certeza que o povo cresceu porque Brasil já mudou".

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI