Brasil/Manifestações

Imprensa europeia vê "fracasso" nos protestos contra Dilma

A mobilização no segundo dia de ação contra o governo da presidente Dilma Rousseff foi menor, constatam os jornais europeus.
A mobilização no segundo dia de ação contra o governo da presidente Dilma Rousseff foi menor, constatam os jornais europeus. REUTERS/Nacho Doce

A imprensa europeia deu bem menos destaque ao segundo dia de protestos contra o governo da presidente Dilma Rousseff. Na França, o jornal Le Monde afirma que "os movimentos da sociedade civil, oficialmente apartidários", que covocaram as manifestações deste domingo (12) "fracassaram na aposta de reeditar a mobilização de 15 de março". Ontem, 600 mil pessoas saíram às ruas aos gritos de "Fora Dilma"; em março foram 1,7 milhão de pessoas, lembra o Le Monde.

Publicidade

Além da análise do jornal Le Monde, o site da revista semanal L'Obs também constata que os militantes anti-Dilma estavam menos mobilizados do que há um mês. A publicação destaca que a grande maioria dos juristas considera que as condições para a destituição da presidente não estão reunidas.

Na Espanha, o jornal El Pais cita dados revelados pelas últimas pesquisas. Segundo o Datafolha, 63% dos brasileiros querem que o Congresso leve adiante o processo de impeachment. Outra sondagem revelou que 75% dos brasileiros são a favor dos protestos e 60% reprovam o segundo mandato de Dilma. Com base nesses números e a menor mobilização neste domingo, El País conclui que Dilma pode ter chegado ao fundo do poço e, com sorte, começará a subir daqui para frente, "o que não será nada fácil", estima o diário espanhol.

Em Portugal, o site do jornal Público diz em chamada na home que os manifestantes continuaram a chamar a presidente e o Partido dos Trabalhadores de corruptos, na segunda grande marcha contra o governo em menos de um mês. Mas, na avaliação do diário português, há consenso que a aplicação jurídica do impeachment será muito difícil.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.