Imprensa

Brasileiros estão decepcionados com sua democracia, diz Le Monde

Reportagem do Le Monde publicada nesta sexta 3 de julho.
Reportagem do Le Monde publicada nesta sexta 3 de julho. Reprodução

O caderno de Cultura e Ideias do jornal francês Le Monde deste fim de semana traz um artigo sobre duas pesquisas de opinião realizadas nos últimos três meses que demonstrariam “a falta de estima dos brasileiros sobre seus governantes”. Segundo o correspondente do diário no Rio de Janeiro, Nicolas Bourcier, as pesquisas demonstram “o desencanto dos brasileiros com a democracia e seu desinteresse pelas instituições”.

Publicidade

O primeiro levantamento, realizado no final de março pelo Latin American Public Opinion Project, mostrou que 47,6% dos brasileiros apoiam a ideia de uma intervenção militar “em caso de forte corrupção”. A pesquisa refletia um momento conturbado do país, com manifestações de rua contra a presidente Dilma Rousseff que, segundo o Le Monde, está “enredada em uma crise econômica e em um escândalo de corrupção na Petrobras”. Em comparação com outros países da América Latina em que a mesma pesquisa foi realizada, o Brasil apresentou um dos índices mais elevados, ultrapassado apenas por Paraguai e Peru, e por uma pequena margem.

A falta de estima dos brasileiros pela administração do país teria se acentuado nos últimos anos. Antes de 2012, a porcentagem dos adeptos de um golpe militar oscilava entre 36% e 40%. “O mais inquietante”, diz o Le Monde, “é que a pesquisa mais recente foi realizada em 2014, antes mesmo do escândalo na Petrobras”.

A outra pesquisa a que se refere o jornal foi feita pela Fundação Getúlio Vargas na metade de abril e divulgada no último dia 13 de junho. Ela indica que 60% dos brasileiros se dizem insatisfeitos com o funcionamento de sua democracia. “Também confirmam a baixa popularidade dos representantes e políticos”, diz o Le Monde, ao mostrar que 77% dizem não confiar na presidente Dilma Rousseff. Entre os governadores, senadores e deputados, a média de desaprovação é de 80%. Em nenhum momento pós-ditadura militar (1964-1985) os partidos políticos registraram uma rejeição tão grande: seu índice de confiança não chega a 10%.

Aversão à democracia?

O Le Monde diz que as crises que o Brasil atravessa – recessão, corrupção e divisões políticas – “acentuaram este desamor”, mas que o problema do país parece mais profundo. “Desde a redemocratização, os brasileiros demonstram regularmente uma certa desconfiança em relação à coisa pública, maior do que a dos cidadãos de outros países da região”, diz o correspondente.

Uma sondagem de 2011 feita pelo Latinobarómetro mostrou que apenas 45% dos entrevistados preferiam o regime democrático – contra uma média de 58% nos países latino-americanos. O Le Monde aponta o que considera uma contradição no comportamento dos brasileiros: “Estudos comparativos mostram que o apoio à democracia costuma ser maior nos países que guardam uma memória dos traumas provocados pelos regimes autoritários. Mas o Brasil foi um dos últimos países a investigar o seu passado. A Comissão Nacional da Verdade só foi instalada 27 anos depois e os militares jamais reconheceram sua culpa”.

As causas dessa apatia dos brasileiros com a democracia, diz o Le Monde, estão, em parte, no sistema político do país, “fechado às demandas da sociedade”.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.