Brasil-América Latina

Saiba por que a paz na Colômbia interessa o Brasil

Áudio 02:39
Humberto de la Calle (esquerda), representante do governo colombiano, cumprimenta Ivan Marquez (direita), representante da guerrilha, em Havana, no dia 15 de dezembro de 2015.
Humberto de la Calle (esquerda), representante do governo colombiano, cumprimenta Ivan Marquez (direita), representante da guerrilha, em Havana, no dia 15 de dezembro de 2015. Reuters

Um dos temas de discussão da última Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac) em Quito foi o apoio dos países membros na verificação do cessar-fogo do governo colombiano com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). A colaboração do Exército brasileiro nessa área permitiu a desativação de 15 mil minas terrestres, em cinco anos, no território colombiano.

Publicidade

Mariana Clini Diana, correspondente em Bogotá

O Brasil, também presente na reunião da Celac, já havia reiterado seu apoio à Colômbia em outubro de 2015, durante a visita de Estado da presidenta Dilma Rousseff a Bogotá. O Brasil já possui uma longa história de cooperação com o país vizinho. Desde 2005, a experiência brasileira na erradicação de minas terrestres em outros países permitiu contribuir com a Colômbia, que se caracteriza por ser o segundo país com maior presença desse tipo de explosivo, uma herança de mais de 50 anos de conflito armado. Nos últimos cinco anos, o Exército brasileiro já desativou mais de 15 mil minas terrestres na Colômbia.

A embaixadora do Brasil em Bogotá, Maria Elisa Berenguer, sinaliza a importância de ações como esta para apoiar a Colômbia rumo a um acordo de paz com as FARC. “O fim do último conflito no hemisfério gera dividendos políticos, gera dividendos de toda sorte para a região. É importante por conta das possibilidades de desenvolvimento econômico e social da segunda maior população da América do Sul, uma das principais economias, e uma das que mais cresce em toda América Latina”, destaca a embaixadora.

Brasil colabora em programas de agricultura familiar

Outras ações de cooperação do governo brasileiro com Bogotá são a assistência técnica e o financiamento de programas de agricultura familiar. Junto com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), o Brasil compartilha conhecimento baseado em sua experiência interna. O propósito de um dos programas é a compra pública de alimentos de pequenos produtores rurais para doar a pessoas em situação de risco alimentar e outras instituições. Até o momento, Brasil e Colômbia já ajudaram cerca de 300 famílias de camponeses colombianos.

De acordo com o especialista em política da América Latina da Universidad del Rosario Yann Basset, a participação ativa em programas de cooperação com o objetivo de apoiar a Colômbia no fim do conflito armado com as FARC é estratégica para o Brasil.

“Ao Brasil interessa que se estabilize esta situação para evitar que o conflito interno colombiano se converta em um elemento desestabilizador das relações internacionais na região”, explica o especialista. Basset aponta que também é de interesse do Brasil que a Colômbia encontre estabilidade interna para poder combater de forma mais efetiva o tráfico de drogas, um problema que afeta todos os países da região.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.