Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Cardozo diz que Dilma pode estar presente durante julgamento no Senado

Áudio 04:36
José Eduardo Cardozo, advogado da presidente afastada Dilma Rousseff, durante entrevista coletiva no Palácio da Alvorada nesta quinta-feira (28).
José Eduardo Cardozo, advogado da presidente afastada Dilma Rousseff, durante entrevista coletiva no Palácio da Alvorada nesta quinta-feira (28). Lula Marques/ AGPT
8 min

Durante o maior evento de esporte do mundo, os Jogos Olímpicos, o Brasil saberá se Dilma Rousseff será definitivamente afastada da Presidência da República. Segundo o advogado de defesa, José Eduardo Cardozo, ela pode ir pessoalmente ao Senado no julgamento final.

Publicidade

Luciana Marques, correspondente da RFI em Brasília

Cardozo entregou as alegações finais da defesa ao Senado nesta quinta-feira (28). Ele já havia pedido um prazo maior e, ainda assim, aproveitou até o último minuto. O documento, com 500 páginas, é a última cartada para tentar convencer os senadores a votarem contra o impeachment na Comissão de Constituição e Justiça.

Cardozo reiterou que não há provas contra a presidente Dilma e afirmou que ela pode ir pessoalmente ao senado no julgamento final, se houver. "As provas apresentadas 'arrebentam' com a acusação. Se vocês pegarem todas as testemunhas, elas mostram que não há como manter em pé essa acusação", declarou.

A senadora Gleisi Hoffman, do PT, disse que vai apresentar um voto em separado ao do relator Antonio Anastasia, além de dois requerimentos - um solicitando a presença de procurador do Ministério Público, que disse que não há crime nas pedaladas fiscais. O outro pedindo que as pedaladas sejam retiradas do processo. "Ou seja, que este pedido não conste como acusação, já que não configura crime", enfatizou a senadora.

Já o senador Cassio Cunha Lima, do PSDB, declarou que a presidente Dilma é "medalha de ouro em pedaladas", em referência às Olimpíadas.

Julgamento do impeachment durante os Jogos Olímpicos

A cerimônia de abertura dos jogos será no próximo dia 5 de agosto. No dia anterior, a Comissão de Constituição e Justiça vai votar o parecer do senador Antonio Anastasia, que vai avaliar se a presidente cometeu ou não crime de responsabilidade.

No dia da abertura dos jogos, o parecer será lido no plenário e no dia 9 de agosto vai a julgamento. Se rejeitado, será arquivado. Se aprovado, a presidente Dilma passará por um julgamento definitivo no fim de agosto.

Enquanto Dilma aguarda o resultado do impeachment, o presidente em exercício Michel Temer vai assistir de camarote com a família a abertura dos Jogos Olímpicos no Rio. No evento, ele fará uma declaração bem curta, para evitar vaias, como ocorreu com Dilma na Copa do Mundo de 2014. Nem Dilma nem o ex-presidente Lula vão ao evento.

Cronograma do impeachment

Segundo o senador Ricardo Ferraço, do PSDB, a Olimpíada não deve atrasar o cronograma do impeachment. Ele aposta num placar de 16 a 5 pelo afastamento da presidente Dilma na Comissão de Constituição e Justiça. Já no plenário, acredita que entre 62 e 65 dos 81 senadores votarão pelo impeachment.

Para a senadora Ana Amélia, do PP, assim como a Copa do Mundo em 2014 não comprometeu a campanha eleitoral, agora a Olimpíada não vai interromper os trabalhos no Senado. Ela disse estar a cada dia mais convencida de que o processo do impeachment não tem volta.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.