Acessar o conteúdo principal

Lula se torna réu na Lava-Jato por tentativa de obstrução da Justiça

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se tornou réu na operação Lava-Jato nesta sexta-feira (29).
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se tornou réu na operação Lava-Jato nesta sexta-feira (29). REUTERS/Adriano Machado
Texto por: RFI
3 min

A denúncia, apresentada pelo Ministério Público, foi aceita nesta sexta-feira (29) pelo juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília.

Publicidade

O ex-presidente brasileiro Luís Inácio Lula da Silva se tornou pela primeira vez réu na operação Lava-Jato. O ex-senador Delcídio Amaral, o ex-chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira, o banqueiro André Esteves, o advogado Edson Ribeiro, o pecuarista José Carlos Bumlai e seu filho, Maurício Bumlai, também são acusados de tentar obstruir a Justiça numa tentativa de comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró.

Os advogados do ex-presidente da República afirmaram, por meio de nota oficial, que o ex-presidente já deixou claro, em depoimento à Procuradoria Geral da República, que "jamais interferiu ou tentou interferir em depoimentos relativos à Lava Jato".

A defesa de Lula argumentou ainda no comunicado que “a acusação se baseia exclusivamente em delação premiada de réu confesso e sem credibilidade - que fez acordo com o Ministério Público Federal para ser transferido para prisão domiciliar”.

Segundo informações da imprensa brasileira, o ex-presidente chegou a comentar o fato durante evento do qual participou nesta sexta-feira (29), em São Paulo. “Eu não quero falar dos meus problemas pessoais, para não transformá-los em problemas coletivos, mas enquanto estou aqui conversando com vocês fiquei sabendo que foi aceita uma denúncia contra mim de obstrução de Justiça. Vamos ver, eu não conheço”, declarou Lula.

O juiz da da 10ª Vara Federal de Brasília, Ricardo Leite, que aceitou a denúncia, concedeu prazo de 20 dias para os sete acusados se manifestarem sobre a acusação e determinou a retirada do sigilo do processo.

O ex-presidente Lula e o pecuarista Maurício Bumlai são acusados de “embaraço à investigação” (pena de 3 a 8 anos). O acatamento pelo juiz Ricardo Leite da denúncia contra o ex-presidente brasileiro acontece exatamente um dia depois da ação de Lula na ONU contra "contra os abusos ilegalidades da Operação Lava Jato", nesta quinta-feira (28).

Na ocasião, os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentaram uma petição ao Comitê de Direitos Humanos da ONU em Genebra, por violação da Convenção Internacional de Direitos Políticos e Civis e abuso de poder pelo juiz Sérgio Moro e procuradores federais da Operação Lava-Jato contra Lula.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.