Acessar o conteúdo principal
Brasil/Justiça

Envio de Lula a tribunal repercute na imprensa francesa

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. REUTERS/Paulo Whitaker
Texto por: Adriana Moysés
3 min

A imprensa francesa repercute neste sábado (30) a denúncia aceita contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se tornou réu na Operação Lava Jato. Ele será julgado por tentativa de obstrução da Justiça. Segundo o Journal du Dimanche (JDD), esta é a primeira vez que uma das personalidades mais populares do país se vê em situação tão delicada.

Publicidade

O jornal Le Monde afirma que a decisão do Ministério Público já era esperada. "A surpresa é que ela tenha sido tomada por um juiz de Brasília, Ricardo Augusto Soares Leite, e não pelo pior inimigo [de Lula], o juiz Sérgio Moro", que atua em Curitiba, escreve o Monde.

"A acusação contra Lula, que se tornou um mito político em seu país, por ter retirado milhares de pessoas da pobreza, testemunha as mudanças que estão ocorrendo na Justiça brasileira", observa o jornal. De acordo com Carlos Melo, professor do Insper ouvido pela correspondente do diário em São Paulo, os juízes brasileiros perderam o pudor e, "mesmo que Lula seja considerado um Deus para muitos brasileiros, ele terá de se explicar à Justiça". A primeira consequência do processo é que diminuem as chances de Lula disputar a eleição presidencial de 2018, considera o jornal.

O JDD afirma que desta vez Lula será levado a um tribunal. "A uma semana do início dos Jogos Olímpicos do Rio, os desdobramentos do escândalo na Petrobras provocam mais interesse nos brasileiros do que a competição esportiva", nota o JDD.

Além de Lula, o ex-senador Delcídio Amaral, o ex-chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira, o banqueiro André Esteves, o advogado Edson Ribeiro, o pecuarista José Carlos Bumlai e seu filho, Maurício Bumlai, também são acusados de tentar obstruir a Justiça numa tentativa de comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

Le Figaro observa que até a noite de sexta-feira não eram conhecidos os detalhes das acusações da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília. "Mas os advogados do ex-presidente têm a intenção de provar a sua inocência." Em depoimento à Procuradoria Geral da República, Lula declarou que "jamais interferiu ou tentou interferir em depoimentos relativos à Lava Jato".

Le Monde e JDD também reproduzem a reação de Lula, que afirmou estar "cansado" das denúncias envolvendo seu nome. "Tudo o que eu quero é respeito e não ser julgado pelas manchetes dos jornais", afirmou o ex-presidente, em um discurso para trabalhadores do setor financeiro em São Paulo. Ele acrescentou que se o objetivo da denúncia é retirá-lo da campanha para a eleição presidencial de 2018, "essa provocação me dá coceira".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.