Chapecoense

Sobreviventes da queda do avião na Colômbia estão em condição estável

Os sobreviventes da queda do avião da LaMia na Colômbia: o goleiro Jackson Follmann, o lateral Alan Ruschel, a comissária de bordo boliviana Ximena Suárez, o jornalista Rafael Henzel Valmorbida, o zagueiro Hélio Neto e o tripulante boliviano Erwin Tumiri.
Os sobreviventes da queda do avião da LaMia na Colômbia: o goleiro Jackson Follmann, o lateral Alan Ruschel, a comissária de bordo boliviana Ximena Suárez, o jornalista Rafael Henzel Valmorbida, o zagueiro Hélio Neto e o tripulante boliviano Erwin Tumiri. Reprodução/Facebook

Os quatro brasileiros e os dois bolivianos que sobreviveram à queda do avião da LaMia na última segunda-feira (28) estão em condição estável. O último balanço sobre o estado de saúde dos sobreviventes foi divulgado no sábado (3).

Publicidade

Os três jogadores da Chapecoense que sobreviveram ao acidente com o avião da companhia LaMia - o goleiro Jackson Follmann, o lateral Alan Ruschel e o zagueiro Hélio Neto - além do jornalista Rafael Henzel e da comissária de bordo boliviana Ximena Suárez - seguem internados no Hospital San Vicente Fundación, na cidade de Rionegro, na Colômbia. O sexto sobrevivente, o tripulante boliviano Erwin Tumiri, recebeu alta na sexta-feira (2) e viajou para La Paz, onde passará por novas avaliações médicas.

A equipe médica da Chapecoense está na Colômbia acompanhando o tratamento dos quatro brasileiros. Na sexta-feira, o médico Marcos André Sonagli conversou com a imprensa e explicou que dois jogadores já respiram por conta própria, sem a ajuda de aparelhos.

Familiares dos sobreviventes também puderam visitá-los. No entanto, ainda não há previsão da transferência deles a hospitais no Brasil, uma operação que, segundo a equipe médica, seria muito arriscada.

"Discutimos a situação de cada um deles com nosso grupo de especialistas do Hospital San Vicente Fundación", em Rionegro, na presença de uma delegação médica brasileira, disse o médico Ferney Rodríguez, em entrevista coletiva.

Como estão os sobreviventes

O goleiro Jackson Follmann, que teve a perna direita amputada na última terça-feira (29), foi desentubado, conversa e está acompanhado da família. "Ele está totalmente consciente, conversa longamente conosco, com a família, e sabe que teve a perna amputada. (...) Ficamos gratamente surpresos com a atitude dele. (...) Ele entende que perdeu a perna, mas não a vida. Está bastante otimista", contou o médico.

O lateral Alan Ruschel permanece sedado e foi desentubado ontem, "está em estado crítico, mas estável", reiterou Rodríguez. O pai do jogador também conversou com a imprensa. "Gostaria de contar a vocês que Alan está evoluindo bem, não mais dia a dia, e sim minuto a minuto (...) Estamos satisfeitos com a evolução dos quatro, que, graças a um verdadeiro milagre, conseguiram se salvar nessa tragédia", disse seu pai, Flavio Ruschel, em entrevista coletiva.

O zagueiro Hélio Neto continua sedado, mas apresentou melhoras nos últimos dias. Na quinta-feira (1°), o pai do jogador, Helam Marinho Zampier, escreveu no Facebook que Neto foi submetido a cirurgias e reagiu bem. De acordo com Zampier, os médicos estão esperançosos de que o zagueiro possa voltar aos gramados no futuro. “Agradeço as orações e continuemos com elas pois ainda precisamos de confirmações e alta para poder vê-lo de perto e tenho que dominar minha ansiedade que é muita”, publicou.

O jornalista Rafael Henzel Valmorbida continua sedado e em estado crítico. Segundo Rodríguez, sua melhora depende de sua evolução pulmonar. "Cada vitória, cada conquista dos nossos parentes é um momento de euforia, de alegria", contou seu primo, Roger Valmorbida.

Além dos quatro brasileiros, a comissária de bordo boliviana Ximena Suárez continua internada em em Rionegro. Ela permanecerá no hospital colombiano por cerca de 10 dias, informou no sábado (3) o governo da Bolívia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.