Acessar o conteúdo principal
Meio Ambiente

Busca por dieta vegetariana cresce 2.500% após escândalo da carne estragada

Áudio 08:37
Escândalo da carne estragada levou brasileiros a se informar sobre o vegetarianismo
Escândalo da carne estragada levou brasileiros a se informar sobre o vegetarianismo Divulgação
Por: Augusto Pinheiro
12 min

O escândalo da carne estragada, revelado na semana passada pela Polícia Federal, teve um grande impacto econômico no mercado. China e Hong Kong, por exemplo, suspenderam a importação do produto do Brasil. Mas as revelações também levaram os brasileiros a refletir sobre a sua alimentação.

Publicidade

“Houve um aumento enorme no interesse das pessoas. Muitas entraram em contato diretamente conosco, dizendo ‘me ajude, eu quero parar de comer carne’. Outras buscaram canais automáticos, como nosso o nosso site com o desafio ’21 dias sem carne’. É um programa com orientações para quem deseja se iniciar no vegetarianismo. Estão excluídos todos os produtos de origem animal, inclusive ovos e leite. Houve um aumento de 2.500% na busca pelo programa nos três dias após a revelação do escândalo”, diz  Ricardo Laurino, presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira.

Ele acredita que futuras pesquisas sobre o número de vegetarianos no Brasil, em crescimento há pelo menos uma década, vão mostrar um grande salto. “Eu brinco que podemos jogar fora os números atuais e esperar um mês para conhecer o número real, porque eu acredito que vai crescer muito.”

Laurino diz que o dado mais impactante sobre o tema no Brasil foi revelado em uma pesquisa de 2012 do grupo Ibope, que mostrou que 8% dos entrevistados se definiram como vegetarianos. “Além disso, no ano passado, o Greenpeace fez uma pesquisa mostrando que 60% dos brasileiros têm o interesse em reduzir o consumo de carne. É um número bastante expressivo.”

Alerta sobre malefícios

Para ele, o escândalo também ajudou a alertar as pessoas sobre os malefícios dos produtos de origem animal mesmo quando eles não estão estragados. “A OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou há pouco tempo que os embutidos não oferecem um consumo seguro. Eles aumentam o risco de incidência de câncer. Outros estudos mostram que as pessoas que comem carne têm mais possibilidade de ter problemas cardíacos, como AVC (acidente vascular-cerebral).”

O presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira afirma que ser vegetariano também beneficia e protege o meio ambiente. “O consumo de água para produzir itens de origem animal é enorme. Ao deixar de consumi-los, a pessoa reduz em 40% seu consumo diário de água.”

Além da saúde e do meio ambiente, um terceiro motivo também está por trás da decisão de virar vegetariano. “A razão ética cresceu muito, de pessoas que não se sentem bem e não acham justo se alimentar de um produto que provoca a morte e o e sofrimento de bilhões de animais.” Segundo o Atlas da Carne da organização inglesa Friends of the Earth (amigos da terra), há 375 milhões de vegetarianos no mundo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.