Esquerda brasileira espera convencer Centrão a abandonar Bolsonaro, afirma jornal francês

Jornais franceses desta segunda-feira (31) destacam as manifestações contra o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, no último sábado (29).
Jornais franceses desta segunda-feira (31) destacam as manifestações contra o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, no último sábado (29). © Fotomontagem RFI/Adriana de Freitas

Dois jornais franceses abordam nesta segunda-feira (31) a crescente impopularidade do presidente Jair Bolsonaro e também a crise sanitária no Brasil. As manifestações do último sábado (29) nas principais capitais brasileiras foram acompanhadas com atenção pela imprensa francesa.

Publicidade

"A esquerda toma as ruas contra Bolsonaro" é manchete no jornal Libération. A correspondente do diário em São Paulo, Chantal Rayes, analisa o saldo dos protestos. Ela explica que, após meses de um luto diário e muita revolta devido à gestão da epidemia de coronavírus no Brasil, a parcela insatisfeita da população resolveu finalmente protestar

A jornalista explica que a esquerda brasileira surfa na onda da impopularidade de Bolsonaro e se apóia também no retorno do ex-presidente Lula à vida política. A insatisfação desta parcela progressista da população também é impulsionada pela CPI da Covid no Brasil, que colocou em evidência o fracasso do governo em lidar com a epidemia, boicotando o lockdown, defendendo tratamentos duvidosos e hesitando em adquirir vacinas para proteger os brasileiros.

Segundo Libération, até agora ninguém acreditava na possibilidade de um impeachment de Bolsonaro. Centenas de pedidos de destituição foram encaminhados ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, o único que tem o poder de acatar o processo. Mas, o jornal lembra que Lira faz parte do Centrão e é um aliado de Bolsonaro. 

Por outro lado, a esquerda espera que a pressão popular possa convencer o Centrão a abandonar o presidente brasileiro, a exemplo do que aconteceu com a ex-presidente Dilma Rousseff, após protestos massivos da direita em 2016. Na iminência de uma terceira onda de Covid-19, "a esquerda colocou então como desafio transformar esse quadro e insistir no tempo que resta" - 17 meses antes das próximas eleições.

Recorde de impopularidade

O jornal La Croix destaca o aumento da insatisfação com o governo Bolsonaro e as manifestações do último sábado, quando "os brasileiros conseguiram que suas vozes fossem ouvidas", escreve a correspondente do diário no Brasil, Marie Naudascher. A matéria destaca que a popularidade do líder da extrema direita nunca esteve tão baixa, 24%. 

Segundo o jornal, a CPI da Covid deixa clara a responsabilidade do presidente brasileiro na crise sanitária que vive o país e que já matou mais de 461 mil pessoas. Como se não bastasse, a variante indiana também está circulando no Brasil e a epidemia está piorando, alerta ao diário o epidemiologista Marcio Bittencourt, da USP. No Estado de São Paulo, a taxa de ocupação de leitos nas UTIs ultrapassa novamente 80%. 

La Croix explica que pouco mais de 10% da população brasileira recebeu duas doses da vacina até agora. O jornal lembra que ofertas do imunizante da Pfizer foram "propositalmente ignoradas" em 2020 e Bolsonaro também boicotou a CoronaVac - uma "omissão deliberada" do presidente brasileiro, conclui.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.