Acessar o conteúdo principal

Laboratório Pfizer pede autorização para uso emergencial de vacina contra Covid-19 já em novembro

A Pfizer espera cumprir na terceira semana de novembro os requisitos exigidos pelas autoridades para comercializar a vacina contra a Covid-19
A Pfizer espera cumprir na terceira semana de novembro os requisitos exigidos pelas autoridades para comercializar a vacina contra a Covid-19 AFP/Archivos
Texto por: RFI
4 min

A gigante farmacêutica americana Pfizer anunciou, nesta sexta-feira (16), que planeja solicitar uma autorização para o uso emergencial de sua vacina contra a Covid-19 no final de novembro. A medida visa apenas os Estados Unidos e ainda depende dos resultados dos últimos testes.

Publicidade

"Permitam que fique claro. Supondo que os dados sejam positivos, a Pfizer solicitará uma autorização de uso emergencial nos Estados Unidos pouco depois do fim da etapa de segurança, na terceira semana de novembro", afirmou Albert Bourla, CEO do grupo, em uma carta aberta publicada nas redes sociais. Após o anúncio, as ações da empresa ganharam mais de 2% no mercado eletrônico, antes da abertura da bolsa de Nova York.

A Pfizer acatou o pedido feito na semana passada pela Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA, na sigla em inglês), que controla a comercialização de remédio no país, para que os desenvolvedores de vacinas esperem dois meses após a segunda dose ser injetada em participantes dos ensaios clínicos para monitorarem possíveis efeitos colaterais graves. A direção do laboratório, que é parceiro da empresa alemã BioNTech, disse que a bateria de testes, dos quais participam 30 mil pessoas, poderia apresentar resultados sobre a eficácia da vacina já nas próximas duas semanas. "Poderíamos saber se nossa vacina é efetiva ou não no final de outubro", escreveu Albert Bourla.

A FDA estabelece três condições para a aprovação de uma vacina: que seja eficaz e segura e que a empresa seja capaz de produzi-la em larga escala. A Pfizer espera cumprir com os três requisitos na terceira semana de novembro, ou seja, dentro de um mês.

EUA podem ter duas vacinas

Caso a previsão se confirme, os Estados Unidos poderiam ter duas vacinas prontas até o fim do ano, já que a empresa Moderna, que desenvolve seu próprio projeto, também aposta em uma vacina no final de novembro. Ambas as empresas, financiadas pelo governo dos Estados Unidos, iniciaram a fase 3 de seus testes clínicos ao mesmo tempo no final de julho, e também começaram a produção de doses como medida de precaução, com o objetivo de entregar várias dezenas de milhões de doses no mercado norte-americano para o final do ano.

Mas tudo ainda depende da autorização da FDA. A instituição, que prometeu seguir os procedimentos científicos padrões e não deixar que a pressão política interfira, é a responsável por aprovar ou não a vacina e decidir quais populações serão priorizadas em sua distribuição.

O presidente Donald Trump, que busca um segundo mandato, afirmou que uma vacina poderia estar disponível antes das eleições de 3 de novembro.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.