Bactéria/epidemia

Epidemia se estabiliza mas mistério sobre origem continua

Imagem da bactéria Escherichia coli, que já provocou 19 mortes na Europa.
Imagem da bactéria Escherichia coli, que já provocou 19 mortes na Europa. Wikimedia

Continua o mistério da bactéria que já matou 19 pessoas na Europa. As autoridades sanitárias alemãs informaram que a epidemia se estabilizou na sexta-feira, mas a origem e o modo de disseminação da bactéria continuam desconhecidas. Berlim designou nesta sexta-feira uma força-tarefa nacional para lutar contra a epidemia.

Publicidade

A Organização Mundial de Saúde (OMS), reafirmou em Genebra, Suíça, que a cepa da bactéria, altamente tóxica, já era conhecida. Além dos 19 casos mortais (18 na Alemanha e um na Suécia), mais de duas mil pessoas foram infectadas, a maioria na região de Hamburgo, epicentro da crise. Com exceção de dois casos, todos os infectados passaram pelo norte da Alemanha.

As autoridades alemãs, que chegaram a culpar pepinos espanhóis pela epidemia, continuam a desaconselhar o consumo de legumes e verduras cruas. Especialistas europeus reafirmam que os riscos podem ser reduzidos se os consumidores lavarem as mãos antes do preparo de refeições e antes de se sentarem à mesa.

A epidemia também provocou incidentes diplomáticos. Depois do mal-estar entre Alemanha e Espanha por causa dos pepinos, finalmente absolvidos, agora a tensão é entre a União Europeia e a Rússia. Moscou impôs um embargo de verduras e legumes produzidos no bloco europeu, gerando descontentamento de vários governos e produtores.

A União Europeia exportou 594 milhões de euros de legumes em 2010 para a Rússia. Madri estuda um pedido de compensação pelos prejuízos. O consumo de produtos vegetais frescos vem despencando em toda a Europa.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.