Bactéria/Epidemia

Variante da bactéria mortal E.coli foi encontrada na Holanda

As autoridades sanitárias holandesas confirmam que foi descoberta no país uma variante da bactéria E.coli (EHEC)
As autoridades sanitárias holandesas confirmam que foi descoberta no país uma variante da bactéria E.coli (EHEC) Reuters

Uma variante da bactéria E.coli, diferente da que deu origem ao surto que já deixou 25 mortos na Europa, foi detectada em plantações de beterraba na Holanda que são exportadas para a Alemanha e a Bélgica. A Alemanha, epicentro da epidemia que registra o maior número de mortos e infectados, tem dificuldades para controlar o surto.

Publicidade

A crise causada pela disseminação da bactéria E.coli parece estar longe do fim. O governo de Angela Merkel continua sendo alvo de duras críticas da oposição, de especialistas e de outros governos europeus. Há reclamações, sobretudo, pela falta de centralização na administração da crise, que é dividida entre autoridades ligadas às pastas da Saúde e a Defesa do Consumidor. Alguns reivindicam a criação de serviços para a população, como por exemplo, um número telefônico para informações sobre a doença.

Mesmo depois da descoberta da perigosa bactéria em restos de pepinos no lixo de uma família infectada na cidade de Magdeburg, especialistas alertaram que a fonte da doença continua um mistério. As autoridades recomendam ainda que a população evite consumir tomates, pepinos e folhas verdes cruas, além de brotos.

Uma variante da bactéria E-coli, diferente da que deu origem ao surto que já deixou 25 mortos na Europa, foi detectada em plantações de beterraba que são exportadas para a Alemanha e a Bélgica. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelas autoridades sanitárias holandesas que suspenderam a comercialização e exportação do produto.

O chanceler espanhol discute hoje com autoridades de Berlim os prejuízos aos agricultores espanhóis prejudicados com a falsa denúncia de que os pepinos do país estavam na origem do surto.

Desde o inicio da epidemia, quase duas mil pessoas foram infectadas na Alemanha e 24 morreram. Novas infecções estão surgindo em menor número do que dias atrás, mas as autoridades sanitárias alertam que ainda é cedo para otimismo.

Com colaboração de Márcio Damasceno, correspondente da RFI na Alemanha.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.