Acessar o conteúdo principal
Saúde

Remédio genérico contra a Aids é licenciado para países pobres

Alguns tratamentos contra a aids do laboratório americano Gilead.
Alguns tratamentos contra a aids do laboratório americano Gilead. Getty Images
Texto por: RFI
2 min

Uma decisão inédita à favor da luta contra o vírus HIV em nações subdesenvolvidas. A farmacêutica americana Gilead, uma das maiores do mundo, é a primeira a licenciar a produção de medicamentos genéricos para tratamento da Aids.

Publicidade

Portadores do vírus HIV que moram em países da África e da Ásia terão em breve acesso a medicamentos bem mais baratos contra a doença. Isso será possível graças ao acordo assinado pela empresa Gilead com o Medicine Patente Pool (fundo para patentes de medicamentos), lançado pela Unitaid (fundo mundial para a compra de remédios por países pobres).

Os genéricos serão cópias dos antirretrovirais já comercializados pela própria farmacêutica, como tenofovir, emtricitabine, cobicistat, elvitegravir e Quad, uma combinação em pílula única de todas essas substâncias.

A condição é que esses remédios sejam vendidos em países pobres. O laboratório terá o direito a 3 a 5% de royalties sobre a venda, com exceção das doses pediátricas, que serão isentas de direitos.

Os genéricos serão produzidos na Índia a baixo custo e a concorrência entre fabricantes deverá diminuir ainda mais os preços. O valor final para os consumidores deverá girar em torno de 2% do cobrado nos países ricos.

Para que mais pessoas no mundo com Aids tenham acesso aos medicamentos, outros laboratórios devem ser convencidos a participar da iniciativa do fundo de patentes, o que poderia significar uma economia de mais de 91 bilhões de dólares aos países pobres por ano.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.