Ciências

Franceses produzem glóbulos vermelhos a partir de células-tronco

Pesquisa mostra que no futuro quem precisar de transfusão de sangue poderá ser seu próprio doador.
Pesquisa mostra que no futuro quem precisar de transfusão de sangue poderá ser seu próprio doador. AFP/JODY AMIET
Texto por: Luiza Duarte
2 min

Pesquisadores franceses conseguiram fabricar glóbulos vermelhos a partir de células-tronco. Uma primeira transfusão desses glóbulos vermelhos fabricados em laboratório foi feita em seres humanos, mostrando que além deles terem o mesmo desempenho de glóbulos naturais, podem também sobreviver no organismo.

Publicidade

O estudo publicado nesta quinta-feira na revista científica americana Blood e dirigido pelo doutor Luc Douay, do hospital Saint-Antoine, da Universidade Pierre et Marie Curie, em Paris, deixa a esperança de que um dia os pacientes que necessitam de transfusão sanguínea poderão ser seus próprios doadores, através de suas células-tronco.

A pesquisa pioneira para se obter sangue artificial pode representar uma alternativa para a crescente necessidade de doações de sangue no mundo e para suprir a carência de doadores, além de reduzir o risco de infecções.

No corpo humano circulam entre 5 e 6 litros de sangue. Os glóbulos vermelhos são os responsáveis por transportar o oxigênio dos pulmões para os tecidos. Mas, segundo a equipe, mesmo se os pacientes poderão contar com os glóbulos artificiais é preciso avanços tecnológicos para possibilitar sua produção em grande escala. Para isso, uma possibilidade seria utilizar células de sangue do cordão umbilical que se proliferam mais rapidamente do que células-tronco adultas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.