Acessar o conteúdo principal
Brasil/Copa 2014

Lula rebate críticas sobre a organização brasileira da Copa 2014

O presidente Lula ao lado do chefe de estado sul-africano, Jacob Zuma.
O presidente Lula ao lado do chefe de estado sul-africano, Jacob Zuma. REUTERS/Thomas Mukoya
Texto por: Elcio Ramalho | RFI
5 min

Em declaração no encerramento do Fórum Empresarial Brasil-África, nesta sexta-feira, o presidente reage a críticas e diz que se o Brasil não tivesse condições de organizar a Copa, ele teria que voltar “a nado” da África do Sul. Lula, que desistiu de assistir à final neste domingo, desembarca no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, no fim do dia.

Publicidade

Elcio Ramalho, enviado especial a Joanesburgo

O presidente Lula encontrou-se na noite desta sexta-feira com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, em Joanesburgo, na África do Sul. Lula não deu maiores detalhes da conversa ao deixar o hotel em direção ao aeroporto na manhã deste sábado. O presidente brasileiro decidiu não assistir à final entre Espanha e Holanda, em grande parte, segundo ele, devido ao estado de saúde do vice-presidente José de Alencar.
A reunião com Blatter estava prevista para hoje, mas foi adiada por conta de um jantar com o presidente sul-africano, Jacob Zuma. O presidente da Fifa deve retornar ao país em setembro para detalhar a organização do evento.

Em declaração feita no encerramento do Fórum Empresarial Brasil-África, nesta sexta-feira, Lula disse que a Copa do Mundo de 2014 é uma grande oportunidade para investimentos no Brasil, inclusive para empresas na África do Sul. Segundo Lula, ele e Zuma firmaram compromisso para facilitar as ligações aéreas entre os dois países, sem passar pela Europa, por exemplo. Lula arrancou aplausos da platéia, principalmente ao falar da nova percepção da África do Sul e do continente após o sucesso da organização dessa Copa. "O povo aprendeu a conhecer a verdadeira África do Sul por conta da Copa do Mundo", disse o presidente. "A mesma dúvida que tem sobre a África agora começa com o Brasil. Hoje já me perguntaram : será que vai fazer os aeroportos ? Será que vai ter corredor de ônibus ? Será que vamos acabar os estádios?"

Até 2014, nós temos 624 bilhões de dólares em investimento. Ou seja, se esse país não tiver condições de preparar uma Copa do Mundo, eu teria que ir embora a nado da África do Sul para o Brasil .

Luiz Inácio Lula da Silva, Presidente do Brasil

Embratur lança campanha de propaganda

Do Fórum empresarial, Lula participou de uma grande campanha internacional de propaganda para divulgar o Brasil e a Copa do Mundo. A campanha da Embratur, com filmes e propagandas em todas as mídias, vai convidar turistas do mundo inteiro a visitar o Brasil. "O Brasil te chama, celebre a vida aqui." Este é o slogan da campanha que pretende atrair mais três milhões de pessoas nos próximos anos e 600 mil turistas, só durante os dias da Copa do Mundo 2014. No seu discurso, Lula disse que o Brasil precisa facilitar o acesso de muitos torcedores da América Latina e também da África, para que eles possam ter a oportunidade de visitar o país durante o evento.

No final da cerimônia, o ministro brasileiro do turismo, Luiz Barreto, comentou a proposta que está sendo discutida entre a Fifa e a CBF, de dividir o país em quatro regiões para o Mundial. "Em princípio é uma boa ideia. O Brasil é um país continental, portanto muito grande. A ideia de concentrar uma seleção, do começo ao fim numa região, dividindo o país em quatro, é razoável. Agora, esta é uma questão da Fifa, temos que discutir. Teremos a primeira reunião só em outubro. Temos que ir com calma, mas acho de bom senso. Um time que ficar na Amazônia, se aclimatar na Amazônia, não é justo passar a segunda rodada jogando no Rio Grande do Sul, com outra temperatura. Acho que isso é bom senso.”
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.