Acessar o conteúdo principal
Copa do Mundo

Jogadores espanhóis são recebidos como heróis em Madri

Os craques espanhóis devem desfilar pelas principais ruas de Madri, na tarde desta segunda-feira, com o troféu da Copa 2010.
Os craques espanhóis devem desfilar pelas principais ruas de Madri, na tarde desta segunda-feira, com o troféu da Copa 2010. Reuters
Texto por: RFI
8 min

A seleção campeã do mundo retornou a Madri, nesta segunda-feira, e é recebida com festa pelo rei Juan Carlos, pelo premiê José Luiz Rodriguez Zapatero e por torcedores eufóricos com a conquista do primeiro título mundial da Espanha.

Publicidade

Gritando "campeões, campeões, oé, oé, oé!", milhares de espanhois passaram a noite celebrando a vitória da Espanha contra a Holanda na final Copa do Mundo da África do Sul. Muita festa, fogos de artifício e um calor que chegou aos 40ºC em Madri. As principais cidades da Espanha foram tomadas por torcedores vestidos com a camisa vermelha da seleção.

Em Barcelona, pelo menos 75 mil pessoas se reuniram na Praça da Espanha para assistir a final no telão gigante instalado pela prefeitura. Com a euforia da vitória, torcedores exaltados queimaram latas de lixo e lançaram objetos contra policias que faziam a segurança no local. Resultado: 74 pessoas ficaram feridas, entre elas 12 policiais. A polícia deteve 21 pessoas envolvidas nos incidentes de violência. No País Basco, outra região de forte apelo nacionalista, a polícia prendeu três homens acusados de agredir torcedores que festejavam a vitória da Espanha na Copa. Na capital Madri, onde a população saiu em massa nas ruas, cerca de 250 mil pessoas segundo a polícia, o clima foi calmo, sem incidentes.

A boa campanha da Espanha neste Mundial fortaleceu o sentimento nacionalista dos espanhóis, que andavam cabisbaixos com a sequência de crises que o país vem enfrentando nas áreas política, social e econômica. No domingo, desde cedo, muitas pessoas saíram nas ruas com camisetas, bandeiras e as cores da Espanha pintadas pelo corpo. As lojas lotaram as vitrines com assessórios para torcer pelo time, que também encheram as barracas de comércio ambulante.

Craques desfilam em Madri com a taça

Elcio Ramalho, enviado especial da RFI na África do Sul

Os jogadores espanhois chegaram hoje a Madri, onde foram recebidos com festa. Eles devem desfilar pelas principais ruas da capital, carregando com eles o troféu da Copa 2010. O rei Juan Carlos e o premiê José Luis Rodríguez Zapatero prestam homenagens oficiais aos craques.

Para festejar o primeiro título da Espanha num Mundial, a companhia aérea Iberia lançou uma promoção de última hora e vendeu pela metade do preço todos os voos domésticos e regionais da Espanha para a Europa nesta segunda-feira.

Venceu quem apresentou o melhor futebol

No apito final, duas emoções bem distintas foram vistas no estádio Soccer City. O choro de alegria dos novos campeões do mundo, simbolizado pelo goleiro espanhol Iker Casilas e as lágrimas de tristeza derramadas pelo craque holandês Schneidjer, ainda sob o impacto de uma derrota amarga para quem chegou perto e deixou escapar o título máximo do futebol.

Mais do que um jogo brilhante tecnicamente, Espanha e Holanda protagonizaram uma disputa acirrada por um troféu que para ambas era inédito. Diante do nervosismo, acabaram por fazer a final mais violenta de uma Copa, com um total de 47 faltas, a maioria, 28, cometidas pelos holandeses. Dos 13 cartões amarelos, 8 foram para os jogadores da Laranja Mecânica, que terminaram com 10 em campo devido à expulsão de Heitinga, no segundo tempo da prorrogação.

A Copa foi parar nas mãos de quem apresentou o melhor futebol e teve, por mais tempo, a  posse de bola.

"Geração deslumbrante" encanta imprensa espanhola

Em tom eufórico, a imprensa espanhola anuncia, nesta segunda-feira, a conquista histórica da Copa de 2010 pela seleção "vermelha". "Campeões do Mundo", escreve El País, comentando que a conquista do troféu "é a epopeia que faltava ao futebol espanhol". A imagem do capitão Iker Casillas carregando a taça aparece estampada na primeira página de todos os jornais. O jornal ABC afirma que o gol de Iniesta, na prorrogação, fecha o círculo de uma geração prodigiosa. O diário Marca diz que os jogadores espanhois são os reis do mundo, "uma equipe excepcional, uma geração de mestres do jogo". Para o diário El Mundo, a vitória na África do Sul premia a qualidade.

Elcio Ramalho, enviado especial à África do Sul, e Luisa Belchior, correspondente em Madri.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.