Acessar o conteúdo principal
Literatura / Morte

Portugal e Itália lamentam morte do escritor Antonio Tabucchi

O escritor italiano Antonio Tabucchi morreu neste domingo aos 68 anos em Portugal, sua segunda pátria.
O escritor italiano Antonio Tabucchi morreu neste domingo aos 68 anos em Portugal, sua segunda pátria. Flickr/uminuscula
Texto por: RFI
4 min

O escritor italiano Antonio Tabucchi, um nome sempre presente nas listas de possíveis vencedores do prêmio Nobel de literatura, morreu no último domingo em Portugal, aos 68 anos, vítima de um câncer. O funeral será realizado na próxima quinta-feira, em Lisboa. Tradutor e profundo conhecedor da obra do poeta Fernando Pessoa, Tabucchi havia escolhido Portugal como sua segunda pátria.

Publicidade

Autor de mais de vinte livros traduzidos em cerca de 40 idiomas, Antonio Tabucchi era professor de língua e literatura portuguesa na universidade de Siena, na Toscana, e traduziu para o italiano a obra do poeta Fernando Pessoa. Casado com uma portuguesa, ele costumava passar metade do ano em Lisboa.

O escritor nasceu no dia 24 de setembro de 1943 em Pisa, na Toscana, onde estudou filologia romana. Em 1962 ele se mudou para a França a fim de estudar literatura. Foi lá que descobriu a obra de Fernando Pessoa. Seu entusiasmo pelo poeta o encorajou a estudar português e a se especializar na literatura de Portugal, que se tornou sua segunda pátria.

Vários romances de Tabucchi foram adaptados para o cinema. Entre eles, "Noturno Indiano", levado às telas por Alain Corneau, e "Afirma Pereira", dirigido por Roberto Faenza e estrelado por Marcello Mastroianni, contribuíram para transformá-lo em um autor de sucesso.

O escritor colaborava ainda com vários jornais europeus e se distinguia por suas críticas ao governo de Silvio Berlusconi e seu engajamento em favor da democracia. 

No ano passado, ele provocou uma polêmica no Brasil ao cancelar sua participação na Festa Literária Internacional de Paraty, em protesto contra a decisão da justiça brasileira de negar a extradição do italiano Cesare Battisti, um ex-militante da extrema-esquerda conenado à prisão perpétua na Itália.

Reações

Segundo o secretário da Cultura de Portugal, Francisco José Viegas, Tabucchi não era somente um grande amigo de Portugal que contribuiu para promover a literatura portuguesa no mundo, mas também "o mais português de todos os italianos, um autor querido pelos leitores portugueses".

"Ele escreveu sobre Portugal. Ele interrogava com uma sabedoria e uma inteligência notáveis nossos silêncios e tragédias. Ele foi um excelente embaixador da literatura portuguesa", acrescentou.

"Apesar de nunca ter esquecido a Itália, sua pátria, Antonio Tabucchi soube interpretar como poucos nossa história e nosso povo", enfatizou o presidente português, Aníbal Cavaco Silva, em uma mensagem de condolências enviada à família e aos amigos do escritor.

A Casa Fernando Pessoa de Lisboa anunciou que fará uma homenagem a Tabucchi no dia 2 de abril, com uma maratona de leitura integral de seu romance "Requiem", escrito diretamente em português. O livro "é ao mesmo tempo uma declaração de amor a Portugal e em particular a Lisboa, que era a pátria de Fernando Pessoa", explica Inês Pedrosa, diretora da Casa Fernando Pessoa.

O vice-presidente do Senado italiano, Vannino Chiti, lamentou "a perda dolorosa de Antonio Tabucchi, que nos afeta a todos", enfatizando "o patrimônio precioso de romances, traduções e ensaios" que o escritor deixou.
 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.