Festival de Cannes

Sexo e violência dominam primeiro dia da competição em Cannes

Cena do filme "Jeune et Jolie", de François Ozon, que concorre à Palma de Ouro na 66ª  edição do Festival de Cannes.
Cena do filme "Jeune et Jolie", de François Ozon, que concorre à Palma de Ouro na 66ª edição do Festival de Cannes. festival-cannes.com

Sexo e violência são os temas dominantes nesse primeiro dia da disputa pela palma de Ouro no festival de Cannes. De volta à competição dez anos depois de "Swimming Pool - À Beira da Piscina", o cineasta francês François Ozon apresenta "Jeune et Jolie" (Jovem e Bonita, em tradução literal), sobre uma adolescente que se prostitui por diversão. Selecionado duas vezes na seção paralela Um Certo Olhar, o diretor mexicano Amat Escalante entra pela primeira vez na disputa oficial com seu terceiro longa-metragem, "Heli".

Publicidade

Conhecido por suas produções carregadas de erotismo, o diretor de "Oito Mulheres" apostou na jovem Marine Vacth, já apontada como nova promessa do cinema francês, para encarnar uma adolescente de 17 anos que se prostitui por prazer. Suas aventuras sexuais são contadas ao ritmo das quatro estações.

"A adolescência é muitas vezes idealizada no cinema mundial. Eu tenho uma lembrança difícil e dolorosa da minha adolescência. Quis abordar esse período com uma certa distância e falar dele de maneira diferente", disse o diretor François Ozon em uma entrevista coletiva junto com a equipe do filme nesta quinta-feira.

Ele explicou ter escolhido a ex-modelo Marine Vacth para o papel principal porque sua interpretação era menos realista do que a das outras candidatas. "Eu via em seus olhos um mundo interior, um mistério, e era exatamente isso que eu estava procurando para o filme", disse Ozon.

Aos 34 anos, o mexicano Amat Escalante é o mais jovem dos diretores na disputa pela Palma de Ouro. Seu fime "Heli", que será apresentado nesta quinta-feira ao júri presidido por Steven Spielberg, examina em um estilo quase documentário a situação atual da sociedade mexicana. O cineasta não poupa os espectadores ao descrever as provações de uma família de Guanajuato envolvida contra a sua vontade no tráfico de drogas.

Nesta quarta-feira à noite, durante a projeção para a imprensa, alguns jornalistas saíram do cinema antes do final de "Heli", chocados com as cenas de tortura explícitas.

Já na seção paralela Un Certain Regard, a cineasta americana Sofia Coppola apresenta "A Gangue de Hollywood", que conta a história de um grupo de adolescentes que assaltava as casas de celebridades do cinema para se vestir como seus ídolos. O filme é estrelado pela atriz britânica Emma Watson, famosa como a Hermione da série cinematográfica "Harry Potter".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.