Festival de Cannes

A três dias da premiação, filmes de Abdellatif Kechiche e Alexander Payne entram na disputa

Adèle Exarchopulos e Léa Seydoux em cena de "La Vie d'Adèle", do cineasta franco-tunisiano Abellatif Kechiche, que concorre à Palma de Ouro em Cannes.
Adèle Exarchopulos e Léa Seydoux em cena de "La Vie d'Adèle", do cineasta franco-tunisiano Abellatif Kechiche, que concorre à Palma de Ouro em Cannes. Wild bunch / Quat’Sous Films / France 2 Cinema / Scope Pictures

Dois novos filmes entram hoje na competição oficial do festival de Cannes: "Nebraska", do diretor norte-americano Alexander Payne, e "La Vie d'Adèle" (A Vida de Adèle, em tradução livre) do franco-tunisiano Abdellatif Kechiche.  

Publicidade

Enviada especial a Cannes

Os filmes de Alexander Payne parecem simples, mas são sempre povoados por personagens que vivem transições emocionais importantes. As atuações, portanto, são fundamentais, como em "Os Descendentes", protagonizado por George Clooney, e "Sideways - Entre Umas e Outras", com Paul Giamatti. Payne concorreu à Palma de Cannes em 2002, com "As Confissões de Schmidt".

A história de "Nebraska" gira em torno de um idoso alcoolatra que pede ao filho, com quem tem uma relação muito difícil, que o leve de carro do estado norte-americano de Montana ao estado de Nebraska para retirar o prêmio de uma aposta em cavalos. O filho acha que o prêmio é um golpe.

Com "La Vie d’Adèle" (A Vida de Adèle, em tradução livre), Abdellatif Kechiche retraça a formação da identidade sexual de uma adolescente, cujas fantasias se misturam à realidade. Kechiche é um dos grandes cineastas franceses do momento e este filme é um mais esperados em Cannes.

O cineasta, de origem tunisiana, ganhou quatro prêmios em Veneza com "O Segredo do Grão", de 2007. Esta é sua estreia na competição oficial de Cannes.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.