Acessar o conteúdo principal

Peça inspirada em caso de estupro na Índia é atração no Fringe de Edimburgo

Áudio 08:26
Cartaz do espetáculo "Nirbhaya", uma das atrações da temporada teatral em Edimburgo.
Cartaz do espetáculo "Nirbhaya", uma das atrações da temporada teatral em Edimburgo. Divulgação
Por: Kênya Zanatta
13 min

Edimburgo, na Escócia, vira a capital mundial do teatro durante o mês de agosto. E entre a seleta programação oficial e a abundância do Fringe, a nova peça da diretora Yael Farber é uma das comentadas. O espetáculo se inspira no estupro brutal de uma jovem em Nova Délhi, que chocou a opinião pública indiana. O programa desta semana também fala sobre o Festival de Cinema de Locarno e uma exposição dedicada ao cineasta e vídeoartista Steve McQueen.

Publicidade

Começou nesta sexta-feira o festival internacional de Edimburgo, na Escócia. O programa multidisciplinar deste ano explora as conexões entre os artistas e a tecnologia.

Um exemplo? Os desenhos anatômicos de Leonardo da Vinci, estremamente precisos e detalhados, serão apresentados ao lado de imagens em 3D do corpo humano elaboradas por uma equipe de cientistas. Na comparação, as duas representações se mostram surpreendentemente próximas.

Entre os destaques do programa, uma produção de "Coriolano", de Shakespeare, assinada pelo diretor de teatro mais controverso da China e com duas bandas de heavy metal. A roqueira Patti Smith e o compositor Philip Glass colaboram em uma homenagem ao poeta beat Allen Ginsberg. E a nova companhia de dança fundada pelo coreógrafo francês Benjamin Millepied, LA Dance project, faz sua estreia no Reino Unido.

Fringe

O festival internacional de Edimburgo vai até o dia 1° de setembro. Paralalelamente a esse evento oficial e mais tradicional acontece o Fringe. Trata-se da maior vitrine de espetáculos do mundo, que acolhe mais de 40 mil representações de teatro e comédia em 270 locais.

Inicialmente destinado às pequenas companhias de teatro que buscavam notoriedade, agora o Fringe acolhe os grandes nomes da cena britânica - o que acabou inflacionando as tarifas de aluguel dos teatros.

A nova peça da dramaturga e diretora sul-africana Yael Farber é uma das atrações mais comentadas. No ano passado sua versão modernizada de "Miss Julie", de Strindberg, foi um dos grandes sucessos do Fringe.

Agora ela volta com um trabalho inspirado no caso da jovem indiana estuprada e torturada em um ônibus de Nova Délhi. O ataque provocou protestos da população, indignada com a negligência das autoridades em relação aos crimes de agressão sexual.

A peça é produzida e estrelada por Poorna Jagannathan, uma atriz muito conhecida na Índia. Além dela, outras quatro mulheres indianas reinterpretam cenas de abuso sexual que viveram. Uma delas chegou a ser queimada pelo próprio marido. De uma rara intensidade, segundo os críticos britânicos, o espetáculo "Nirbhaya" fica em cartaz em Edimburgo até 26 de agosto.

Cinema

O novo filme de Júlio Bressane está entre os vinte longas que concorrem ao Leopardo de Ouro no festival de cinema de Locarno, na Suíça.

O cineasta brasileiro volta assim ao festival onde apresentou seu primeiro filme, há 45 anos. Em "Educação Sentimental", ele conta o encontro entre uma mulher e um homem mais jovem.

A 66ª edição do festival de Locarno, que privilegia o cinema de autor, começou na última uarta-feira e vai até o dia 17. O júri da competição oficial é presidido pelo cineasta filipino Lav Diaz.

Além disso, um concurso internacional de curtas procura descobrir os grandes cineastas de amanhã. O único representante brasileiro nessa categoria é "Tremor", de Ricardo Alves Junior.

Mas para o público a grande atração desse festival é o programa de clássicos e estreias internacionais projetados em um telão de 300 m2 na Piazza Grande, um dos recantos mais pitorescos da cidade suíça.

Exposição

E quem estiver na Suíça pode aproveitar para conferir a primeira retrospectiva dedicada a Steve McQueen. Aqui não se trata do ator de Hollywood, mas sim do vídeoartista e cineasta britânico, autor de filmes tão exigentes quanto "Hunger", sobre a greve de fome de um ativista da Irlanda do Norte, e "Shame", sobre um viciado em sexo.

A exposição, que pode ser vista no centro de arte Schaulager, em Basileia, até 1° de setembro, reúne quase todos os filmes e vídeos de McQueen, além de fotografias, esculturas e instalações, em um ambiente que utiliza tecnologia de ponta para valorizar cada obra.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.