Acessar o conteúdo principal
França/Teatro

Brasil é destaque em Festival de Avignon, ameaçado por greve

Camila Pitanga em cena de O Duelo
Camila Pitanga em cena de O Duelo Reprodução
Texto por: Maria Emilia Alencar
3 min

Seis companhias de teatro brasileiras participam do festival de Avignon, o maior evento de artes cênicas da França, que começa nesta sexta-feira (4), ameaçado por uma greve dos profissionais do espetáculo que protestam contra a reforma do seguro-desemprego da categoria.

Publicidade

Se os grevistas não impedirem as apresentações, o público de Avignon terá pela primeira vez a oportunidade de descobrir a mais nova geração de dramaturgos brasileiros. O grande destaque é a peça da companhia paulistana Teatro da Vertigem, de Antônio Araújo, adaptação de um texto do escritor Bernardo de Carvalho. “Dizer aquilo que não pensamos em línguas que não falamos” é o titulo sugestivo do espetáculo que consta da programação oficial do festival, o chamado Avignon In. A peça aborda a crise econômica europeia e é encenada - não por acaso - na antiga Casa da Moeda de Avignon.

Camila Pitanga está no elenco de “O Duelo”

No circuito paralelo do Festival, o Avignon Off, outras cinco companhias brasileiras estarão em cartaz a partir deste sábado (5). Elas fazem parte do projeto Cena Brasil Internacional, financiado em parte pelo governo brasileiro e que reunirá 45 artistas vindos de Porto Alegre, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro. Entre eles está a atriz Camila Pitanga, no elenco da peça "O Duelo", adaptação de uma obra do dramaturgo russo Anton Tchekhov, montada pelo grupo Mundana Companhia.

Cancelamento de estreias

Muita incerteza paira sobre o festival. A greve não deve afetar todos os espetáculos, mas as duas grandes estreias que abririam o evento nesta sexta-feira foram canceladas: o carro-chefe do festival, a mega produção “Le Prince de Hombourg” encenada no palácio medieval da cidade e “Coup Fatal”, um balé do coreógrafo belga Alain Platel com músicos tradicionais africanos.

O cancelamento da primeira apresentação de “Le Prince d’Hombourg” deverá causar um prejuízo de 45 mil euros (cerca de R$ 136 mil) ao festival. Em 2003, a greve dos profissionais do setor do espetáculo na França representou uma perda de 23 milhões de euros ((R$ 69,7 milhões) para a cidade de Avignon, que co-financia o célebre festival.

Nesta sexta-feira, o grande desfile que tradicionalmente dá a largada das 1307 companhias presentes no circuito Avignon Off , vai virar uma marcha silenciosa de apoio aos profissionais da categoria.

O 68° Festival de Avignon, no sul da França, acontece até 27 de julho.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.