Acessar o conteúdo principal

"Nanás" na França, artes performáticas na Itália, Europa e seu patrimônio...

Áudio 08:11
O antigo Forte de Aubervilliers se tornou um centro para as criações de artistas urbanos franceses e internacionais..
O antigo Forte de Aubervilliers se tornou um centro para as criações de artistas urbanos franceses e internacionais.. DR
Por: Leticia Constant
14 min

Passear por culturas europeias, tão diferentes umas das outras, descobrindo seus patrimônios históricos; encantar-se com a arte "bipolar" da inesquecível Niki de Saint Phalle em Paris, ir a Nápoles curtir artes performáticas, ouvir modern soul inglês para aterrissar.... A nossa balada cultural está começando!

Publicidade

Cinquenta países participam neste fim de semana da 31a. Jornada Europeia do Patrimônio, uma verdadeira festa

Em Londres, a casa do primeiro-ministro britânico no 10, Downing Street, pode ser visitada durante a Jornada Europeia do Patrimônio.
Em Londres, a casa do primeiro-ministro britânico no 10, Downing Street, pode ser visitada durante a Jornada Europeia do Patrimônio. DR

e uma chance única de se visitar prédios e monumentos históricos que, durante o ano todo, estão fechados ao público.

Cada país da Europa prepara um roteiro de visitas que vocês podem consultar e, dependendo do país em que estejam, encontrar os lugares mais interessantes para ver.

Claro que não posso falar aqui do que cada país está planejando, mas alguns passeios que valem a pena, aqui na França... e o conceito é bem legal! Porque uma paisagem ou uma floresta representam o patrimônio tanto quanto uma igreja gótica ou uma pintura, neste ano a França decidiu agregar seus espaços naturais às visitas. A ideia é associar patrimônio cultural com patrimônio natural. Cerca de 7.500 parques poderão ser visitados neste fim de semana em todo o país, entre os 17 mil lugares abertos ao público.

Somente na periferia de Paris (Île-de-France), em Val-d'Oise e Yvelines, tem 258 parques naturais considerados como patrimônio, com uma fauna e flora lindíssimas, tudo isso bem pertinho de trem. Nesse espírito, uma visita ao roseiral do jardim Stern, no Parque de Saint-Cloud, é obrigatória!

E com certeza o que deve formar uma fila quilométrica no bairro do Marais é a primeira visita ao Museu Picasso, que ficou fechado durante cinco anos para reformas. E para inaugurar a Jornada parisiense, a escolha foi um concerto na Catedral de Notre-Dame com os órgãos gigantescos que tocarão pela primeira vez depois de meses e meses de restauração.

Niki de Saint Phalle, uma "Naná" no Grand Palais

"As Três Graças", obra de de Niki de Saint Phalle para o National Museum of Women in the Arts, em Washington..
"As Três Graças", obra de de Niki de Saint Phalle para o National Museum of Women in the Arts, em Washington.. @ Niki Charitable Art Foundation, All rights reserved

O Museu Grand Palais de Paris abriu nesta semana a maior retrospectiva dos últimos 20 anos da obra da franco-americana Niki de Saint Phalle, um dos nomes mais famosos nas artes dos anos 50 até hoje.

Quem nunca se encantou diante de suas "Nanás", as adoráveis bonecas imensas, gorduchas e coloridas? Ou dos "seios giratórios" da fonte da praça Igor Stravinsky em Paris? Porque a criação de Niki era assim, ousadia em movimento, sugestão de movimento...

A mostra no Grand Palais apresenta mais de 200 trabalhos que representam todas as facetas da artista, com pinturas, montagens, esculturas, gravuras, performances e até cinema experimental.

A curadora da exposição, Camille Morineau, fala de Niki de Saint Phalle: "É uma artista cujo trabalho tem duas direções. Uma delas é a das "Nanás", alegre, decorativa;  mas tem também o lado político, era uma artista engajada, por exemplo, no feminismo. Eu diria, portanto, que é um trabalho bipolar. Um lado é alegre, divertido e dinâmico. O outro é sombrio, crítico, violento. As "Nanás" são famosas, mas nós as conhecemos mal. Elas são guerreiras que surgem em meados dos anos 60, produtos de um discurso feminista. Niki de Saint Phalle explicava que são mulheres emancipadas, com corpos dinâmicos, esportivos, que vão tomar o espaço público levando uma mensagem feminista, em um momento em que a França, e a Europa, não tinham muito interesse pelo assunto", reflete a curadora.

Quem vier a Paris pode se perder entre as cores e as formas das criações de Niki de Saint Phalle no Grand Palais, de 17 de setembro a 2 de fevereiro de 2015.

Ritmos e performances em Nápoles

Danças e performances são o centro do Alto Fest de Náapoles.
Danças e performances são o centro do Alto Fest de Náapoles. AltoFest

De 22 a 28 de setembro a cidade italiana de Nápoles será palco da Alto Fest, um genial festival de dança, artes performáticas e intervenções multidisciplinares. A ideia é apresentar os espetáculos em lugares diferentes da cidade, numa ótica bem urbana. Grupos de vários países participam, entre eles, a Ridz Companhia, quinteto napolitano dirigido pela coreógrafa Simonne Rizzo. Belíssimo!!!

 

Vejam o vídeo da coreografia "Um Certo Ritmo" da companhia Ridz, de Nápoles:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Ouçam a banda inglesa modern soul "Jungle". A música é "The Heat"...

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.