Acessar o conteúdo principal
Cultura

Filmes brasileiros ganham principais prêmios de festival na França

Áudio 06:47
Cena do filme "Ausência", de Chico Teixeira.
Cena do filme "Ausência", de Chico Teixeira. Divulgação
Por: Patricia Moribe
10 min

A festa foi brasileira na premiação do Cinélatino, o festival de cinema latino-americano de Toulouse, o maior evento do gênero da Europa. Cineastas brasileiros levaram os prêmios de melhor longa (“Ausência”), melhor documentário longa (“Tudo vai ficar da cor que você quiser”) e um de curta-metragem (“João Heleno dos Brito”).

Publicidade

Serginho é o personagem principal de “Ausência”, terceiro longa-metragem de Chico Teixeira. Aos 14 anos, ele prefere trabalhar com o tio na feira do que ir para a escola. Além disso, ele ajuda a mãe, recém-abandonada, que tem problemas com a bebida. A falta de uma figura paterna, a descoberta da sexualidade, a busca pelo afeto e a maturidade precoce são desafios enfrentados por Serginho.

Beatle sertanejo

Na categoria de curta-metragem, um dos prêmios foi para o hilário “João Heleno dos Brito”, uma brincadeira com “John Lennon dos Beatles”. Um “faroeste feijoada”, como descreve o catálogo do festival, o curta gira em torno de brigas de clãs e uma grande confusão gerada com a morte do ex-Beatle John Lennon.

Cor, som e poesia

O Brasil também levou o prêmio de melhor documentário, com “Tudo vai ficar da cor que você quiser”, da cineasta, poeta, roteirista e vídeoartista Letícia Simões. Ela traz um retrato bem pessoal do escritor e músico Rodrigo de Souza Leão, a partir do material que ela teve acesso no computador pessoal do artista, morto em 2009, aos 44 anos. A obra de Souza Leão foi marcada pela profusão, genialidade e esquizofrenia.

“É uma proposta estética diferente, arriscada, de se chegar a Rodrigo de outras formas, e a cor é uma delas”, declarou Letícia em entrevista exclusiva à RFI. Ela teve acesso irrestrito ao computador pessoal de Souza Leão e conta que ficou impressionada com a poesia – ainda inédita – e a música que encontrou nele.

Telas brasileiras na França

O cinema brasileiro está em alta na França. Acontece no momento, na Cinemateca Francesa, durante dois meses, uma grande retrospectiva dedicada à arte no Brasil, com a exibição de cerca de cem filmes. E depois de levar os grandes prêmios em Toulouse, começa na próxima semana o festival Jangada, em Paris, que vai homenagear Maria Bethânia.

Cena de "Tudo vai ficar da cor que você quiser".
Cena de "Tudo vai ficar da cor que você quiser". Divulgação

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.