Acessar o conteúdo principal
Brasil-África

Poeta angolano David Capelenguela se inspira em tradições orais

Áudio 03:05
O escritor e poeta angolano,  David Capelenguela
O escritor e poeta angolano, David Capelenguela Arquivo pessoal
6 min

David Capelenguela é um dos maiores poetas angolanos, com uma extensa obra na qual se destacam “Véu do vento – Haikais & Sonetos”, “Gravuras Doutro Sentido” e “Acordanua”. Obras muito marcadas pelas inspirações da tradição oral e, por consequência, de valor não só literário mas também sociológico e antropológico.

Publicidade

José Gonçalves, em colaboração para RFI

Nascido em 1969 na província sulista da Huíla, tem passado a maior parte da vida no extremo sul angolano, com relevo para a província do Cunene, perto da fronteira com Namíbia, onde iniciou seus trabalhos no Fundo de Apoio Social (FAS) um programa de combate à pobreza. Posteriormente foi colocado na província da Lunda-Sul, centenas de quilômetros a leste da capital, Luanda, como delegado desse mesmo programa.

Membro destacado da União dos Escritores Angolanos (UEA), David é um dos raros escritores angolanos a viver fora dos grandes centros do país. Na entrevista com a RFI considerou o trabalho em zona rural afastada como útil à sua produção poética, na medida em que se baseia na recolha de expressões orais.

“Julgo que tenho conseguido me relacionar com esses povos e, na medida do possível, absolver suas tradições, ao ponto de poder aprender a diferenciação de um simples assobio, um sapatear, o gesto das mão em uma dança, que pode significar, por exemplo, ter muito ou poucos bois. E também a indicação de um jovem rico, a maneira de identificar os cortes de cabelo na juventude. Esses elementos todos me dão alguma inspiração”, explica.

Passagem pelo Brasil

“A minha reconversão dos cantos, dos adágios, dos provérbios, das canções, esta forma de ouvir, absorver e depois passar pelo papel, a maneira como eu quero estruturar minha poesia, a maneira como eu pretendo transmitir, me dá um fôlego, uma vontade de poder continuar a continuar a conviver com o interior e com as comunidades”, diz.

Na entrevista, David considerou importante a passagem pelo Brasil em estágio de suporte à atividade desenvolvida no FAS. "A experiência no Brasil foi muito rica. O Brasil tem muita experiência e está muito avançado e temos muitos consultores brasileiros vindo a Angola para nos assessorarem em intervenções sociais", afirmou. 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.